Portugal recebe mais 70.200 doses de vacina contra a covid a 28 de Dezembro

Primeiras vacinas começa a ser administradas no domingo em cinco centros hospitalares. Mas nova remessa da vacina da Pfizer chega na segunda e vai permitir ter mais profissionais de saúde vacinados e em mais hospitais

Foto
LUSA/JOSÉ SENA GOULÃO

Portugal vai receber mais 70.200 doses da primeira vacina aprovada contra a covid ainda em Dezembro, anunciou a ministra da Saúde numa comunicação feita esta quarta-feira. As primeiras 9750 doses da vacina da BioNTech-Pfizer chegam ao país no dia a seguir o Natal e a vacinação arranca nos cinco principais centros hospitalares do país no próximo domingo. Primeiros a serem imunizados são os profissionais de saúde que trabalham em áreas de contacto directo com casos suspeitos ou conformados de doentes covid.

"Tendo a companhia farmacêutica Pfizer antecipado o calendário de outras entregas estavam previstas primeiro trimestre [de 2021], vai ser possível receber no nosso país mais 70.200 doses ainda este ano. Este Dezembro teremos uma chegada de vacinas que atinge as 79 950 doses, dividas nestas duas entregas. A primeira, que já estava prevista, no dia 26 Dezembro e a segunda agora anunciada para 28 Dezembro”, disse a ministra Marta Temido, que reforçou que se trata de uma antecipação de entregas e por isso “o total de vacinas a receber no primeiro trimestre não será alterado”.

Esta entrega adicional, adiantou ainda Marta Temido, “permitirá alocar 9750 doses de vacina à Madeira e também aos Açores e, por outro lado, expandir a vacinação aos profissionais de saúde identificados como prestadores directos de cuidados a suspeitos ou doentes covid e o universo de hospitais atingidos”, acrescentou a ministra, “esperando atingir todos os hospitais do SNS com esta primeira entrega de vacinas”.

Em relação aos primeiros hospitais a receber as primeiras doses já no dia 26 - são eles os centros hospitalares e universitários Lisboa Norte, Lisboa Central, Coimbra, Porto e São João -, a expectativa é de que seja possível “vacinar cerca de 60% dos identificados neste primeiro momento”. “Os planos em cada um dos hospitais vão ser aferidos e esperamos dias a seguir Natal grande trabalho, mas também grande satisfação com esta oportunidade”, concluiu Marta Temido.

Vacinação ao longo de vários dias

Questionada pelo PÚBLICO, fonte do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra adiantou vão receber “2225 doses” e que “a vacinação começa no dia 27 e prolonga-se até dia 29”. Uma previsão dada ainda antes do anúncio de Marta temido, já feito ao final da tarde. Sem adiantar a taxa de adesão dos profissionais nem o número de pontos de vacinação, a mesma fonte explicou que as vacinas “vão ser administradas pelos enfermeiros da saúde ocupacional e outros do mesmo centro hospitalar”. Quanto aos profissionais seleccionados para esta primeira fase ainda em Dezembro, são seguidas as indicações da task force.

Também no Centro Hospitalar e Universitário Lisboa Norte a vacinação vai decorrer “entre os dias 27 e 30 de Dezembro durante todo o dia”, refere o gabinete de comunicação, que, quanto ao número de profissionais, apenas diz que houve “um elevado nível de adesão à vacinação”. A escolha segue as “orientações da DGS e da task force” e a vacinação vai realizar-se “no Hospital de Santa Maria, num espaço adequado e específico para esta operação”, que “contará com seis postos de vacinação”. São os enfermeiros do centro hospitalar, em articulação com a saúde ocupacional e a direcção de enfermagem, que vão vacinar os colegas de trabalho.

No Centro Hospitalar e Universitário Lisboa Central está igualmente previsto que a vacinação se prolongue até quarta-feira. O processo de imunização vai decorrer nos hospitais de São José e Curry Cabral, com a criação de oito postos de vacinação em cada uma das duas unidades que irão funcionar durante todo o dia. Cada profissional a vacinar na primeira fase, receberá uma convocatória, via SMS, com local, dia e hora do seu agendamento.

Já o Centro Hospitalar e Universitário São João, tal como o presidente do conselho de administração explica na entrevista PÚBLICO/Rádio Renascença, espera conseguir administrar as cerca de 2280 doses que vai receber logo no primeiro dia de vacinação. Para esse objectivo estão a transformar a área das consultas externas em 20 a 30 pontos de vacinação. A taxa de adesão é significativa, entre 90 a 95%, segundo adiantou Fernando Araújo.

O PÚBLICO questionou também o Centro Hospitalar e Universitário do Porto, que remeteu esclarecimentos para o Ministério da Saúde.