Gestora de fundos francesa compra subconcessão do Baixo Alentejo

O negócio, cujo valor não foi revelado, representa a saída grupo espanhol ACS do mercado português.

Foto
Espanhóis da ACS sairam do negócio em Portugaç Adriano Miranda

A Vauban Infrastructure Partners, gestora de fundo de investimentos de origem francesa, comprou a Sociedade Portuguesa para a Construção e Exploração Rodoviária, empresa que detém a subconcessão do Baixo Alentejo desde o início de 2009. Esta abrange a ligação rodoviária entre Évora, Beja e Castro Verde, num total de 113,4 quilómetros, até 2039. O valor do negócio não foi revelado.

Em comunicado divulgado pelo BBVA, que intermediou a venda, o banco refere que a transacção “está sujeita a condições precedentes e a sua conclusão está prevista para o primeiro semestre de 2021”. Os vendedores são a Tecnovia, a Conduril, a Iridium, a Dragados, o Novo Banco e o BCP, enquanto a Planestrada é a entidade responsável pela operação e manutenção da subconcessão.

A Iridium e a Dragados pertencem ao grupo espanhol ACS que, conforme noticiou o site El Economista, deixam o negócio das concessões rodoviárias em Portugal com esta operação (após já terem alienado outros investimentos nesta área).

Em sentido contrário, a Vauban, ligada ao banco Natixis, tem comprado, segundo o El Economista, a sua presença em Espanha.