“Grande falha, frustração sistémica”: provedora critica Governo por não ter mudado SEF antes da morte de Ihor

Maria Lúcia Amaral foi ouvida no Parlamento, onde contou que ministro da Administração Interna disse em 2018 que situação era “terrível” e que novo centro estaria pronto em meses. “Estamos em 2020 e ainda não existe. Esta é a grande falha do Estado português”.

Foto
Rui Gaudencio

“Grande falha e frustração sistémica”. Na sua intervenção aos deputados da Assembleia da República, a provedora de Justiça, Maria Lúcia Amaral, criticou o facto de só agora terem sido acatadas recomendações que o Mecanismo Nacional de Prevenção da Tortura faz desde, pelo menos, 2018, sobre as mudanças no Centro de Instalação Temporária (CIT) do aeroporto de Lisboa, do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF). “A grande responsabilidade está em todos estes anos não se ter encontrado alternativa para aquilo que era visivelmente insustentável.”