NASA abateu 27 primatas num só dia

A agência espacial norte-americana abateu, no mesmo dia, 27 primatas nas suas instalações. A situação gerou revolta entre vários defensores da causa animal.

Foto
LUSA/MOHAMED HOSSAM

A agência espacial norte-americana (NASA) abateu 27 primatas no mesmo dia, no centro de investigação Ames, em Silicon Valley. Os animais estavam a cargo da agência para experiências científicas, soube o The Guardian através de documentos tornados públicos ao abrigo de leis de liberdade de informação.

No dia 2 de Fevereiro de 2019, a NASA mandou abater 27 primatas por já se encontrarem em estado débil: 21 destes animais tinham sintomas de Parkinson. John Gluck, um especialista em Ética Animal da Universidade do Novo México, disse ao The Guardian que os animais “estavam a sofrer privações éticas e frustrações inerentes à vida de laboratório”.

"Aparentemente”, acrescentou Gluck, os primatas “nem sequer foram considerados para integrarem um santuário de vida animal”. “Nem sequer uma tentativa? Abate em vez da expressão de simples decência. Os responsáveis deviam ter vergonha.”

Os animais, anteriormente utilizados em experimentação científica, chegaram à NASA através de um acordo com o laboratório LifeSource BioMedical, cuja directora, Stephanie Solis, falou ao mesmo jornal: “Concordámos em aceitar estes animais, agindo como um santuário e providenciando todos os cuidados, a nosso cargo, até que a idade avançada e o estado de saúde em declínio dos mesmos resultou na decisão de os eutanasiar humanamente para evitar o sofrimento.”

Esta acção foi contestada pela Rise for Animals, uma organização norte-americana que pretende acabar com a experimentação animal. Ao jornal britânico, o porta-voz da Risa for Animals afirmou: “A NASA tem muitas qualidades, mas relativamente às práticas do bem-estar animal é obsoleta.”

Texto editado por Ana Maria Henriques