Os velhos: esse contínuo boomerang

O modo como uma sociedade trata os seus maiores diz muito dela. Ser velho não deve ser sinónimo de espera pela morte.

Segundo a Pordata, entre 2000 e 2019 existem mais 596.822 residentes em Portugal com 65 ou mais anos e do total de agregados domésticos unipessoais, em 2019, de 934,1, 513,2 são pessoas do mesmo escalão etário. Segundo o Dinheiro Vivo, também em 2019 existiam 729 lares privados com capacidade para cerca de 22.000 idosos, representando um negócio de €330 milhões. Em 2018, segundo o SNS, o número de camas em unidades de cuidados continuados era de (apenas) 8770, orçando em cerca de €339 milhões.