Eutanásia ainda pode chegar a Belém na campanha eleitoral

Marcelo tem oito dias para enviar o texto da despenalização da morte medicamente assistida para o Tribunal Constitucional. Se não o fizer, terá que o vetar ou promulgar nos 12 dias seguintes.

Foto
LUSA/RODRIGO ANTUNES

É difícil, mas há ainda alguma hipótese de Marcelo Rebelo de Sousa poder ter que olhar para o texto que legaliza a eutanásia durante a campanha eleitoral, possivelmente só mesmo nos últimos dias antes das presidenciais marcadas para 24 de Janeiro. Tendo em conta o caminho do processo legislativo no Parlamento, é possível que os deputados possam votar o texto final na primeira semana de Janeiro no plenário, o que faria com que o decreto da Assembleia pudesse ser remetido para o Palácio de Belém nos últimos dias da semana a seguir, que é a primeira da campanha eleitoral, ou na seguinte.