A Rota da Rabanada dá mais sabor ao Natal de Caminha

Há 32 especialidades para provar por Âncora e Vila Praia de Âncora, Lanhelas, Seixas, Moledo, Gondar, Vilar de Mouros e Caminha.

caminha,restauracao,natal,gastronomia,fugas,porto,
Fotogaleria
DR/Câmara Municipal de Caminha
caminha,restauracao,natal,gastronomia,fugas,porto,
Fotogaleria
DR/Câmara Municipal de Caminha
caminha,restauracao,natal,gastronomia,fugas,porto,
Fotogaleria
DR/Câmara Municipal de Caminha
caminha,restauracao,natal,gastronomia,fugas,porto,
Fotogaleria
DR/Câmara Municipal de Caminha
caminha,restauracao,natal,gastronomia,fugas,porto,
Fotogaleria
DR/Câmara Municipal de Caminha
,Coque pegajoso
Fotogaleria
DR/Câmara Municipal de Caminha
caminha,restauracao,natal,gastronomia,fugas,porto,
Fotogaleria
DR/Câmara Municipal de Caminha
caminha,restauracao,natal,gastronomia,fugas,porto,
Fotogaleria
DR/Câmara Municipal de Caminha

Regressa a Rota da Rabanada ao concelho de Caminha e é certo e sabido que não faltarão visitantes para apreciarem as variações deste monumento da gastronomia portuguesa, de tradição secular, que nasce a partir de uma simples fatia de pão. Só por terras de Caminha contam-se 32 especialidades para provar neste roteiro apoiado pela autarquia.

Até 31 de Dezembro, a Rota da Rabanada de Caminha passa por cafés, pastelarias, mercearias, hotéis e restaurantes da sede de concelho e também por Âncora e Vila Praia de Âncora, Lanhelas, Seixas, Moledo, Gondar, Vilar de Mouros.​ Não é em vão que por aqui se considera que estão as “melhores rabanadas do mundo” com “mil e uma maneiras de as confeccionar”. Embora, claro, não falte concorrência por todo o país.

No Ponto: Rabanadas de Ponte da Barca

Entre as novidades do ano: a rabanada recheada com gelado e caramelo salgado. Mas a ementa passa por rabanadas de vinho do Porto, de frutos secos, de chila, recheadas com maçã, recheadas com abóbora, com doces de ovos ou fios de ovos...

A base da receita é (quase) sempre a mesma: "Um doce de pão de trigo em fatias que, depois de molhadas em leite, vinho (no Minho usa-se vinho verde tinto ou branco) ou calda de açúcar, são passadas por ovos e fritas. Servem-se polvilhadas com açúcar e canela ou regadas com calda de açúcar, xarope de bordo ou mel”. 

A iniciativa tem como objectivos, sublinha a autarquia, “promover a gastronomia, dinamizar o comércio e a economia local”. 

Foto
CM Caminha

Mesa de Natal alternativa: Rabanadas vegan