Reuniões do Infarmed voltam em 2021

Último encontro entre epidemiologistas, políticos e parceiros sociais aconteceu a 3 de Dezembro. Governo entende que houve uma estabilização da situação epidemiológica e que a última reunião já abordou o período de festas e o início da vacinação.

Foto
Miguel Manso

Apesar da necessária renovação do estado de emergência para os próximos 15 dias, esta semana o primeiro-ministro António Costa não convocou a reunião entre epidemiologistas, políticos e parceiros sociais para avaliar a evolução da pandemia por considerar que o último encontro já teve em vista o período das festas e o início do plano de vacinação.

Ao que o PÚBLICO apurou, as reuniões do Infarmed não deverão repetir-se em 2020, voltando apenas em 2021 já com dados sobre o número de infecções durante a quadra festiva e estimativas sobre uma eventual terceira vaga.

Tudo indica que o Governo entende ter havido uma estabilização na evolução da pandemia: o aumento do número de mortes que tem sido registado nas últimas duas semanas já estava previsto nos cálculos apresentados pelos especialistas na última reunião, assim como o número de novas infecções.

Ainda assim, a renovação do estado de emergência deve ser aprovada na quinta-feira e na sexta-feira o Governo anuncia se as medidas já previstas para a quadra natalícia se vão manter ou se será preciso puxar o travão de mão.

A última reunião entre especialistas, políticos e parceiros sociais realizou-se a 3 de Dezembro. A primeira parte do encontro foi dedicada à apresentação da situação epidemiológica, durante a qual a comunidade científica deixou claro que, apesar da tendência de descida verificada até então, seria necessário manter a disciplina e continuar com medidas de restrição que forçassem uma diminuição dos números.

Num segundo momento foi também abordado o tema das vacinas, horas antes de o Governo apresentar o documento que resumia o plano inicial de vacinação da covid-19.