Cabrita, Costa e Marcelo não têm botão da vergonha

Esta falha monumental do nosso Estado de direito tem um responsável político. Chama-se Eduardo Cabrita e é o ministro que tutela o SEF.

No dia 2 de outubro escrevi “as vidas imigrantes contam”, numa altura em que o grito “black lives matter” ressoava em terras lusas, porque a vida de Ihor Homeniuk não conta menos do que a de George Floyd. Entretanto, caiu a diretora do SEF depois de um valente puxão de orelhas da comissária europeia Ylva Johansson. Esta demissão fazia falta, mas não resolve o problema. Nesta história, toda a gente está mal. Vou de baixo para cima, em escadinha.