TAP corta 230 milhões em custos com trabalhadores já em 2021

Além de reduções de pessoal, plano entregue em Bruxelas contempla o corte de 25% dos salários acima dos 900 euros, pelo menos até 2025.

Foto
Reuters/Rafael Marchante

O plano de reestruturação da TAP, entregue esta quinta-feira pelo Governo em Bruxelas, contempla um corte de custos com pessoal de 230 milhões de euros no ano que vem. Este objectivo será atingido através de duas formas: saídas de trabalhadores, voluntárias ou não, e um corte transversal de 25% dos salários a quem ficar. Neste último caso, segundo informou esta quinta-feira à noite a empresa, ficou estabelecido que o montante mínimo acima do qual incidirá a redução salarial será de 900 euros, “considerando para o efeito o vencimento base”. Para o ano que vem, a empresa estima receitas da ordem dos 1300 milhões de euros, 60% abaixo do valor de 2019.