PCP não está confinado, mas continua auto-sitiado

Além da auto-afirmação organizativa, em tom explicitamente defensivo, o congresso não trouxe novidades.

A capacidade de fazer um congresso, com o país em estado de emergência e sob medidas restritivas para evitar a propagação das contaminações da covid-19, foi a principal afirmação política que saiu do XXI Congresso do PCP. O sentimento de auto-satisfação transpareceu em vários discursos e foi veementemente afirmada pelo secretário-geral reeleito, Jerónimo de Sousa, quer na abertura, quer no encerramento, quando fez uma comparação reveladora: “Estivemos aqui a exercer direitos democráticos que durante 48 anos de ditadura fascista foram proibidos e que, conquistados com Abril, acabaram por ser consagrados na Constituição.”