PS recupera e soma mais do que a direita toda junta

Barómetro da Aximage de Novembro aponta para queda do PSD e subida do Chega.

Foto
António Costa consolida as preferências dos inquiridos para primeiro-ministro Nuno Ferreira Santos

O PS recuperou quase dois pontos percentuais (37,2%) nas intenções de voto e o PSD voltou a cair para 23,9% face aos 27% de Outubro, de acordo com o barómetro de Novembro da Aximage para a TSF e Jornal de Notícias. A direita toda junta vale menos do que o PS nas intenções de voto, mas o Chega é o único que sobe.

O trabalho de campo decorreu entre 23 e 26 de Novembro, já depois de ser conhecido o acordo nos Açores entre PSD e Chega bem como depois de o Governo ter anunciado medidas de combate à pandemia mais restritivas. Foi também o momento da recta final do Orçamento do Estado (OE) em que o BE reiterou o voto contra. Os bloquistas perderam terreno (dos 10% passaram para 7,9%) enquanto o PCP se manteve nos 5,8%, de acordo com o mesmo barómetro.

Entre os partidos que viabilizaram o OE, o PAN foi o único que subiu, passando de 5,2% para 6,5%. Com esta recuperação, o PS volta a valer mais do que a direita toda junta (34,6%). Só o Chega conquista pontos (de 5,4% passa para 7,5%) enquanto a Iniciativa Liberal perde um ponto percentual para 3,2% e o CDS fica reduzido a 1%.

Relativamente à avaliação da confiança dos líderes do PS e do PSD para primeiro-ministro, António Costa consolida as preferências (50%) enquanto Rui Rio fica muito abaixo com 18%.

Na avaliação do desempenho dos líderes partidários, António Costa vai à frente com 55% de opiniões positivas, deixando para trás Rui Rio (com 29%), Catarina Martins (BE) com 25%, quase ao mesmo nível de André Silva (PAN) e de André Ventura (Chega), ambos com 24%.

A sondagem foi realizada pela Aximage para a TSF e o JN, com o objectivo de avaliar a opinião dos portugueses sobre temas relacionados com a intenção de voto nas legislativas e avaliação dos líderes partidários. O trabalho de campo decorreu entre os dias 23 e 26 de Novembro de 2020 através da realização de uma amostra de 647 entrevistas, a corresponde um grau de confiança de 95% com uma margem de erro de 3,90%, de acordo com a Aximage.