The Flight Attendant: Kaley Cuoco passou do Big Bang para o quarto de hotel errado

Uma hospedeira de bordo acorda num hotel que não conhece ao lado de um homem morto, sem qualquer lembrança do que aconteceu. Não é nada que já não tenhamos visto, mas a actuação multifacetada de Kaley Cuoco, uma das estrelas d’A Teoria do Big Bang, faz de The Flight Attendant uma série de relativo sucesso, que salta entre o drama e o humor negro sem correr grandes riscos.

streaming,series-,cultura,hbo,televisao,culturaipsilon,
Fotogaleria
DR
streaming,series-,cultura,hbo,televisao,culturaipsilon,
Fotogaleria
DR
streaming,series-,cultura,hbo,televisao,culturaipsilon,
Fotogaleria
DR

The Flight Attendant, série que chegou à HBO Portugal no dia 26 de Novembro, podia ser, à imagem de Industry, que está disponível na mesma plataforma de streaming, uma obra para quem tem saudades de um certo tipo de vida social. Pelo menos é essa a ideia que sugerem os primeiros minutos do episódio de estreia, que retratam Cassie Bowden (personagem interpretada por Kaley Cuoco, a Penny d’A Teoria do Big Bang) como uma hospedeira de bordo que passa a maior parte dos seus dias em aviões e as noites nalgumas das cidades exóticas mais requisitadas do mundo. Há muito whisky com gelo, muitos restaurantes com luz sedutora, muitos “one-night stands” e muitas festas em discotecas suadas. O tipo de diversão descomprometida e excitante que não se recomenda por estes dias.

A alegria acaba, no entanto, quando, depois de mais uma escapada irreverente, desta feita em Banguecoque, a protagonista acorda num hotel que não conhece à beira de um homem morto, o mesmo com quem tivera um encontro romântico. De repente, passamos de uma simples (ou talvez até simplista) comédia de excessos para um “murder mystery” que, não dispensando um certo nível de detalhe e profundidade emocional, não tem a pretensão de se levar demasiado a sério.

A publicação The Hollywood Reporter descreve The Flight Attendant na perfeição quando, na sua crítica, argumenta que esta série corresponde ao “equivalente televisivo de uma leitura na praia”: apreciaremos o seu ritmo rápido e relativo sentido de humor enquanto os episódios passarem pelos nossos ecrãs, possivelmente não reflectiremos muito sobre o que vimos depois dos créditos finais e, em princípio, os criadores não ficarão muito chateados com isso. “A obra tem uma confiança de identidade que apreciei”, escreve o autor Daniel Fienberg, dessa revista norte-americana.

Kaley Cuoco é a estrela da companhia (a actriz sabe saltar com classe e confiança do registo mais voltado para o riso fácil que lhe reconhecíamos n’A Teoria do Big Bang para o pânico de quem não sabe como acordou numa cama cheia de sangue — e os graves apagões derivados do seu problema com as bebidas alcoólicas quase podiam chegar para um espectador pensar duas vezes antes de pedir a sua próxima cerveja...), o que não significa que não surja bem acompanhada. Michiel Huisman (A Guerra dos Tronos) interpreta de forma perfeitamente satisfatória Alex Sokolov, o homem morto — que não deixa de ter uma intervenção relevante mesmo depois do golpe fatal na sua garganta —, ao passo que os colegas de trabalho da instável Cassie aliviam o que de resto seria um ar irrespirável e oferecem algum humor. Zosia Mamet (de Girls, série de Lena Dunham – que, curiosamente, realizou o primeiro episódio e é produtora executiva de Industry) e T.R. Knight (conhecido pelo papel do médico George O’Malley em Anatomia de Grey) também integram o elenco.

Um pouco como The Undoing, que se estreou na HBO Portugal a 26 de Outubro, The Flight Attendant matematicamente desvenda revelações no fim de cada episódio, embora aqui os twists não sejam tão dramáticos como na série com Hugh Grant e Nicole Kidman. Situada algures entre o thriller e o humor negro, esta mini-série é uma adaptação do romance homónimo escrito em 2018 por Chris Bohjalian.