Em tempo de pandemia, advento da esperança

Segundo o calendário litúrgico, entramos hoje num tempo de resistência à resignação e ao fatalismo. A esperança é a virtude das horas difíceis.

1. Muita gente sente que este longo tempo de pandemia lança uma incerteza corrosiva sobre o nosso quotidiano e sobre o futuro. Os alertas diários contra o desleixo e o pânico são indispensáveis, mas sem alimentar as fontes e as razões humanas e divinas da esperança, não conseguiremos renovar as nossas resistências físicas e psicológicas.