Espaço

Espaço: o que aprendemos (e conquistámos) em 2020?

Um homicídio cósmico em acção, com uma estrela a ser destruida pela força gravitacional intensa de um buraco negro que contém dezenas de milhares de massas solares, numa impressão artística obtida pela Reuters em Abril de 2020 NASA-ESA/D. Player
Fotogaleria
Um homicídio cósmico em acção, com uma estrela a ser destruida pela força gravitacional intensa de um buraco negro que contém dezenas de milhares de massas solares, numa impressão artística obtida pela Reuters em Abril de 2020 NASA-ESA/D. Player

À medida que a Terra demonstra crescentes sinais de fadiga relativamente à presença humana, milhões de cientistas e investigadores mantêm os olhos fixos no cosmos em busca de mais conhecimento e, em muitos casos, de um novo hospedeiro para a espécie humana. O atípico ano de 2020, marcado pelo surgimento da pandemia de covid-19, foi palco de inúmeros avanços na área da “conquista espacial”. A Reuters partilha agora com o mundo as melhores fotografias do espaço deste ano e o P3 relembra o que aprendemos e conquistámos no espaço ao longo de 2020.

Em Janeiro, a NASA anunciava a descoberta de um planeta do tamanho da Terra, a “apenas” 100 anos-luz de distância, localizado numa zona identificada como habitável. No mesmo mês, a Fundação Nacional da Ciência dos Estados Unidos partilhava com o mundo imagens inéditas (e impressionantes) da superfície do Sol, coberta por plasma. “Estas são as imagens com maior resolução da superfície solar já captadas”, afirmou Thomas Rimmele, responsável pelo projecto. Vale a pena rever.

No segundo mês de 2020, a sonda Orbiter parte, dos Estados Unidos, numa viagem de 10 anos também em direcção ao Sol, com o objectivo de contemplar as suas regiões polares e trazer luz sobre o fenómeno dos ventos solares, que afectam satélites e electrónica na Terra. Também em Fevereiro foram descobertos sinais de rádio oriundos de uma galáxia muito, muito distante, que se repetem a cada 16 dias. Intrigados relativamente à sua origem? É literalmente extraterrestre. Na Terra, morria com 101 anos a matemática da NASA Katherine Johnson, mulher negra que desempenhou papel chave no desenvolvimento do programa Apolo, que levou a humanidade até à Lua. O seu génio matemático teve um reconhecimento tardio devido à segregação racial e de género, praticada pela agência na década de 60.

Em Março, aquando do surgimento da pandemia e da implementação de medidas de confinamento, o planeta mudou de aparência. Imagens recolhidas no espaço revelaram o impacto visual da diminuição da poluição atmosférica

Em Abril deste annus horribilis, o ditado “águas mil” quase foi substituído por “pedras mil” devido à passagem de um asteróide de dois quilómetros a uma “curta” distância da Terra. À cautela, a NASA alterou a classificação do 1998 OR2 para “asteróide potencialmente perigoso”, justificando bastar uma ligeira mudança de trajectória para este se tornar uma ameaça para a vida na Terra. 

Em Maio, um grupo internacional de investigadores confirmava a existência do exoplaneta Próxima b, que orbita em torno da estrela mais próxima do nosso sistema solar, a Próxima do Centauro. A descoberta foi feita a partir da recolha de dados de um mega-telescópio concebido para procurar planetas parecidos com a Terra, capazes de suportar vida. Ainda em Maio, a empresa privada SpaceX lançou um foguetão com dois astronautas da NASA a bordo - um marco importante no cumprimento da missão de “comercializar o espaço”.

Durante o mês que marca a chegada do Verão, a NASA divulgou um vídeo em timelapse que reúne dez anos de imagens do Sol. Vale a pena revê-lo. O cometa Neowise riscou o céu de Julho, deixando todos de olhos fixos nas estrelas. Em Agosto, a cápsula da SpaceX retorna ao planeta azul.

Is there life on Mars? Ninguém pode afirmar ainda, com absoluta certeza, que não existe. Mas em Vénus foi detectada, em Setembro, a presença de fosfina, um gás que na Terra é produzido industrialmente ou por micróbios. Is there life on Venus

Setembro ficou marcado pela sonda que tocou no asteróide Benu e conseguiu, com sucesso, retirar amostras da sua superfície durante a manobra designada “toca-e-foge”. As amostras do asteróide primitivo podem dar pistas sobre a química que deu origem ao Sol e aos planetas do nosso sistema solar há mais de 4500 milhões de anos.

Água na Lua? Em Outubro, a NASA confirmou a presença — inesperada — de água na superfície iluminada da Lua. A quantidade é, porém, 100 vezes inferior à que existe no deserto do Sara. A descoberta terá implicações em futuras missões.

No dia 2 de Novembro do ano 2000, chegaram à Estação Espacial Internacional os primeiros três ocupantes dos mais de 240 que por lá viriam a passar. Há 20 anos que, a 28 mil quilómetros por hora, os ocupantes da EEI flutuam entre divisões com janelas com vista para a Terra. O tempo voa… ou orbita?

Imagem mostra a superfície do Sol com a maior resolução conseguida até hoje. Fotografia obtida pelo telescópio Daniel K. Inouye, o maior telescópio solar do mundo, que está localizado na ilha de Maui, Havai, EUA
Imagem mostra a superfície do Sol com a maior resolução conseguida até hoje. Fotografia obtida pelo telescópio Daniel K. Inouye, o maior telescópio solar do mundo, que está localizado na ilha de Maui, Havai, EUA NSO/NSF/AURA
O Nilo Azul é fotografado enquanto a reserva da barragem Grand Ethiopian Renaissance se enche de água, na fronteira entre a Etiópia e o Sudão. Imagem obtida a partir da órbita terrestre.
O Nilo Azul é fotografado enquanto a reserva da barragem Grand Ethiopian Renaissance se enche de água, na fronteira entre a Etiópia e o Sudão. Imagem obtida a partir da órbita terrestre. NASA/METI/AIST/Japan Space Systems, and U.S./Japan ASTER Science Team
Vista da Antártica a partir do espaço.
Vista da Antártica a partir do espaço. NASA Earth Observatory/Lauren Dauphin
Luz solar reflecte no Mar Mediterrâneo, perto da Córsega, em França, e Sardenha, em Itália. Imagem captada a partir da Estação Espacial Internacional, em Fevereiro de 2020.
Luz solar reflecte no Mar Mediterrâneo, perto da Córsega, em França, e Sardenha, em Itália. Imagem captada a partir da Estação Espacial Internacional, em Fevereiro de 2020. NASA Earth Observatory
A sombra da Lua passa sobre a China durante o ecliple solar visto a partir da Estação Espacial Internacional, em Junho de 2020
A sombra da Lua passa sobre a China durante o ecliple solar visto a partir da Estação Espacial Internacional, em Junho de 2020 NASA Earth Observatory
Formações nebulosas que se formam sobre o oceano, junto à ilha Baffin (à esquerda), com pedaços de gelo visíveis na costa da Gronelândia (à direita) numa imagem recolhida por satélite.
Formações nebulosas que se formam sobre o oceano, junto à ilha Baffin (à esquerda), com pedaços de gelo visíveis na costa da Gronelândia (à direita) numa imagem recolhida por satélite. NASA Earth Observatory/Joshua Stevens
Fitoplancton forma padrões no Mar Báltico, na costa da Suécia. Agosto de 2020
Fitoplancton forma padrões no Mar Báltico, na costa da Suécia. Agosto de 2020 NASA Earth Observatory/Joshua Stevens
Lançamento de satélites de telecomunicações Briz-M booster, Ekspress-80 e Ekspress-103, no cosmódromo de Baikonur, Cazaquistão. Julho de 2020.
Lançamento de satélites de telecomunicações Briz-M booster, Ekspress-80 e Ekspress-103, no cosmódromo de Baikonur, Cazaquistão. Julho de 2020. Agência Espacial Russa Roscosmos
Poeira transportada por ventos quentes e secos do deserto da Namibia. Julho de 2020
Poeira transportada por ventos quentes e secos do deserto da Namibia. Julho de 2020 NASA Earth Observatory/Lauren Dauphin
O conjunto de galáxias Abell 2744, com gás sobreaquecido é captado por uma imagem de raio-x. Setembro de 2020
O conjunto de galáxias Abell 2744, com gás sobreaquecido é captado por uma imagem de raio-x. Setembro de 2020 Chandra X-ray Observatory Center/NASA
A Omega Nebula, em forma de cisne.
A Omega Nebula, em forma de cisne. NASA
O cometa NEOWISE passa sobre a Terra. Imagem feita a bordo da Estação Espacial Internacional, em Julho de 2020.
O cometa NEOWISE passa sobre a Terra. Imagem feita a bordo da Estação Espacial Internacional, em Julho de 2020. NASA
Nuvens de padrão conhecido como vórtices von Karman são vistas sobre as ilhas da Madeira e Canárias.
Nuvens de padrão conhecido como vórtices von Karman são vistas sobre as ilhas da Madeira e Canárias. NASA Earth Observatory/Joshua Stevens
O hemisfério norte de Júpiter visto a partir do veículo espacial Juno, da NASA
O hemisfério norte de Júpiter visto a partir do veículo espacial Juno, da NASA NASA/JPL-Caltech/SwRI/MSSS/Kevin M. Gill
A galáxia NGC 5643, na constelação de Lupus (O Lobo), que fica a 60 milhões de anos-luz da Terra. O brilho central é resultado de gás brilhante movimentando-se em direcção a um buraco negro de grandes dimensões, de acordo com os cientistas.
A galáxia NGC 5643, na constelação de Lupus (O Lobo), que fica a 60 milhões de anos-luz da Terra. O brilho central é resultado de gás brilhante movimentando-se em direcção a um buraco negro de grandes dimensões, de acordo com os cientistas. ESA/Hubble/NASA
Uma ilustração descreve tempestados de alta carga eléctrica no lado sombrio de Júpiter
Uma ilustração descreve tempestados de alta carga eléctrica no lado sombrio de Júpiter NASA/JPL-Caltech/SwRI/MSSS/Gerald Eichstadt
A estrela em formação W51 na constelação Aquila, que é uma das principais "fábricas de estrelas" da Via Láctea, está rodeada de nuvens de pó interestelar. Imagem captada pelo telescópio Spitzer Space, em Agosto de 2020.
A estrela em formação W51 na constelação Aquila, que é uma das principais "fábricas de estrelas" da Via Láctea, está rodeada de nuvens de pó interestelar. Imagem captada pelo telescópio Spitzer Space, em Agosto de 2020. NASA/JPL-Caltech
A Tarantula Nebula, na região R136, onde estrelas massivas se formam, é captada pelo Spitzer Space Telescope, em Janeiro de 2020
A Tarantula Nebula, na região R136, onde estrelas massivas se formam, é captada pelo Spitzer Space Telescope, em Janeiro de 2020 NASA/JPL-Caltech
Trilhos de redemoinhos ficam marcados nas dunas de areia da superfície de Marte.
Trilhos de redemoinhos ficam marcados nas dunas de areia da superfície de Marte. NASA/JPL-Caltech/University of Arizona
Campos de palma e de oliveiras em Al Jowf, na Arábia Saudita, vista a partir do espaço.
Campos de palma e de oliveiras em Al Jowf, na Arábia Saudita, vista a partir do espaço. NASA/METI/AIST/Japan Space Systems, and U.S./Japan ASTER Science Team
Montanhas de gelo ancestral na superfície de Marte. Agosto de 2020
Montanhas de gelo ancestral na superfície de Marte. Agosto de 2020 NASA/JPL-Caltech/University of Arizona
Cratera é vista na superfície de Marte, Junho de 2020.
Cratera é vista na superfície de Marte, Junho de 2020. NASA/JPL-Caltech/University of Arizona
Dunas de areia da cratera Matara, na superfície de Marte. Março, 2020.
Dunas de areia da cratera Matara, na superfície de Marte. Março, 2020. NASA/JPL-Caltech/University of Arizona
Dois tipos de dunas de areia, em Marte.
Dois tipos de dunas de areia, em Marte. NASA/JPL-Caltech/University of Arizona
Camadas de areia na cratera Holde, em Marte. Abril de 2020
Camadas de areia na cratera Holde, em Marte. Abril de 2020 NASA/JPL-Caltech/University of Arizona
Ciclones no pólo norte de Júpiter, numa imagem captada pela NASA
Ciclones no pólo norte de Júpiter, numa imagem captada pela NASA NASA/JPL-Caltech/SwRI/MSSS/Gerald Eichstadt
Pessoas assistem ao lançamento do SpaceX Falcon 9, que transporta quatro astronautas na primeira missão espacial comercial no Kennedy Space Center, em Cape Canaveral, Flórida, EUA
Pessoas assistem ao lançamento do SpaceX Falcon 9, que transporta quatro astronautas na primeira missão espacial comercial no Kennedy Space Center, em Cape Canaveral, Flórida, EUA REUTERS/Joe Skipper
Estrelas coloridas estão aglomeradas no cluster NGC 1805, na constelação de Dorado. Setembro de 2020
Estrelas coloridas estão aglomeradas no cluster NGC 1805, na constelação de Dorado. Setembro de 2020 ESA/Hubble/NASA/J. Kalirai
November 19, 2020 Dunas de areia e outras estruturas, em Marte
November 19, 2020 Dunas de areia e outras estruturas, em Marte NASA/JPL-Caltech/University of Arizona/Handout
Sugerir correcção