Controlo do teletrabalho deixa ACT sem capacidade para outros problemas

Sindicato dos Inspectores do Trabalho alerta que a actividade normal da Autoridade para as Condições do Trabalho está parada e os inspectores estão concentrados no cumprimento do teletrabalho obrigatório.

Foto
No final do terceiro trimestre, 644 mil pessoas estavam em teletrabalho, menos 37,9% do que no trimestre anterior. Paulo Pimenta

O número de trabalhadores que pedem a intervenção da Autoridade para as Condições do Trabalho quando a empresa recusa adoptar o teletrabalho tem vindo a multiplicar-se, deixando os inspectores sem capacidade para responderem aos outros problemas do mercado de trabalho. O alerta é deixado por Carla Cardoso, presidente Sindicato dos Inspectores do Trabalho (SIT), que questiona os efeitos práticos e imediatos para o trabalhador desta medida.