Mulheres, de famílias pouco qualificadas e com notas baixas — eis os jovens inactivos

Percentagem daqueles que não estudam nem trabalham após terminarem o ensino secundário recuou ligeiramente nos últimos dois anos. Raparigas com maior dificuldade em encontrar emprego.

Foto
Nuno Ferreira Santos

São maioritariamente raparigas, vindas de famílias onde as qualificações não vão além do ensino básico e tiveram notas medianas durante o seu percurso escolar. É este em traço grosso o perfil dos jovens que não estudam nem trabalham, segundo um relatório da Direcção-Geral de Estatísticas da Educação e Ciência (DGEEC) publicado esta semana. Foram cerca de 6000 os que concluíram o ensino secundário no ano lectivo de 2018/2019 e que estão agora nesta situação.