Crónica

A grande ilusão ecológica

Como todos os bons eco-cidadãos, cumpro diariamente os pequenos gestos em prol do ambiente: uso sacos reutilizáveis quando vou às compras, faço a triagem dos detritos, distribuindo as diferentes categorias (operação de teor metafísico) pelos caixotes de cores distintas, segundo um código muito simples, que nos deixa sem desculpas se agirmos como analfabetos do lixo, fazendo de conta que desconhecemos o guia do bom comportamento para a ecologia doméstica. Reforçando a boa consciência, sigo ainda outros cuidados suplementares, ao ponto de poder afirmar: perante um tribunal que julgasse os delitos praticados contra Gaia, a Mãe-Terra, estaria em condições de reclamar a minha inocência.