Torne-se perito Crítica

Pedro Barroso: esta herança que vos deixo

O último disco de Pedro Barroso sintetiza uma obra onde palavra e música viveram em união com um forte sentimento de cidadania. Chega esta sexta-feira às plataformas digitais e às lojas, em formato CD.

ipsilon-papel,cultura,ipsilon,critica,culturaipsilon,musica,
Foto
Com a consciência de que seria o seu último disco, quis deixar nele expressas as suas preocupações com a vida e o mundo Pedro Matias

Por uma daquelas partidas que a vida prega, Pedro Barroso já não pôde assistir ao lançamento daquele que sabia ser o seu derradeiro disco. Programado para Novembro de 2019 (e o título, Novembro, jogava com essa data, que era a do seu aniversário), foi primeiro adiado por razões técnicas e depois pela morte (num acidente em Espanha) de Patxi Andión, que se juntou a Pedro Barroso num dueto em Que rumos. Sendo a primeira colaboração entre ambos, acabou por ser acrescentada ao título do disco. A morte de Pedro Barroso, em 17 de Março de 2020, ditou novo adiamento. Até hoje.