Torne-se perito Crítica

Madame Sofia e os filhos de putas

A Vida pela Frente vem enformado por uma inteligência discreta (na relação com o “mito” Loren e na relação com a realidade) que não é despicienda.

sophia-loren,netflix,critica,holocausto,cinema,culturaipsilon,
Fotogaleria
A Vida Pela Frente: o seu atributo é quase só um, a presença de Sophia Loren
sophia-loren,netflix,critica,holocausto,cinema,culturaipsilon,
Fotogaleria
sophia-loren,netflix,critica,holocausto,cinema,culturaipsilon,
Fotogaleria
sophia-loren,netflix,critica,holocausto,cinema,culturaipsilon,
Fotogaleria

A aura da aristocracia do cinema europeu também seduz a Netflix, quem diria. A Vida pela Frente é mais um “exclusivo” da plataforma de streaming, e o seu atributo é quase só um: a presença de Sophia Loren, uma das últimas memórias vivas do tempo em que o cinema europeu ainda era capaz de erguer uma “mitologia” própria e capaz de rivalizar com a do outro lado do Atlântico.