Roman Bondarenko, assassinado pela polícia, torna-se o “herói” da oposição bielorrussa

Pintor foi levado pela polícia e espancado, morrendo no hospital. ONU pede investigação “minuciosa, transparante e independente”, enquanto União Europeia ameaça com novas sanções. Contas bancárias para ajudar vítimas da repressão foram congeladas por ordem de Lukashenko.

Foto
Roman Bondarenko foi detido na terça-feira e morreu dois dias depois BelaPAN/Reuters

Milhares de pessoas saíram às ruas de Minsk, capital da Bielorrússia, para prestar homenagem ao pintor Roman Bondarenko, apoiante da oposição a Aleksander Lukashenko, espancado até à morte por polícias à paisana, de acordo com o relato de testemunhas.