China: como um único surto de brucelose deu origem a milhares de infectados

A doença bacteriana com sintomas semelhantes aos da gripe e que é normalmente causada pelo contacto com animais, infectou mais de 6 mil pessoas. A transmissão de pessoa para pessoa é extremamente rara e a taxa mortalidade é muito reduzida, mas doença pode causar sintomas que nunca chegam a desaparecer.

Foto
Vacas com brucelose são desinfectadas antes de serem abatidas por agentes de saúde noa província de Shaanxi, China, em Novembro de 2014 Reuters

A brucelose, uma doença bacteriana com sintomas semelhantes aos da gripe e que é normalmente causada pelo contacto com animais, infectou mais de 6 mil pessoas num único surto que teve origem no Noroeste da China.

O surto em Lanzhou, capital da província de Gansu, aconteceu por causa de um vazamento numa fábrica de vacinas, de acordo com a comissão de saúde de Lanzhou. Há doentes que ainda estão a ser tratados em hospitais embora o surto tenha ocorrido há mais de um ano.

O principal órgão legislativo da China aprovou uma lei no mês passado para estabelecer protocolos de prevenção e controlo do risco para responder a surtos repentinos e a outros tipos de emergências.

O que é a brucelose?

A brucelose é uma doença infecciosa zoonótica, um tipo de patologia que passa dos animais para as pessoas. É causada por uma bactéria que afecta ovelhas, cabras, bovinos, suínos e até cães — e já foi diagnosticada em muitos países, incluindo Portugal.

Geralmente, os humanos contraem a doença pelo contacto directo com animais infectados, através do consumo de produtos de animais contaminados, como leite ou queijo não pasteurizado, carne crua, ou pela inalação de agentes transportados pelo ar. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a transmissão de pessoa para pessoa é extremamente rara.

A febre e fraqueza, que surgem ao longo de algumas semanas, são alguns dos sintomas mais comuns em humanos. A taxa de mortalidade é baixa, embora as complicações causadas pela doença possam ser fatais. Outros sintomas, como dores nas articulações, podem tornar-se crónicos e nunca desaparecer.

O que aconteceu em Lanzhou?

Este surto em Lanzhou foi detectado em Novembro de 2019, quando alguns alunos do Instituto de Pesquisa Veterinária de Lanzhou tiveram um teste positivo para a brucelose. Até ao fim do mês de Dezembro, pelo menos 181 pessoas do instituto tinham sido infectadas, de acordo com a autoridade sanitária da província.

O surto chegou a espalhar-se para uma província vizinha (Heilongjiang) onde 13 pessoas que trabalhavam no instituto residiam.

O governo testou 55.725 pessoas na cidade, das quais 6620 foram positivas, segundo revelou o governo de Lanzhou em conferência de imprensa nesta quinta-feira avançou o Global Times, órgão de comunicação do governo. 

A fábrica onde o surto teve origem (propriedade da China Animal Husbandry Industry) tinha usado desinfectantes fora do prazo entre Julho a Agosto de 2019 para fabricar vacinas contra a brucelose e a bactéria que causa a doença acabou por ficar gases residuais utilizados no processo. Os gases contaminados formaram aerossóis que foram levados pelo vento até o instituto veterinário, que fica junto à fábrica.

A brucelose é comum na China?

Cerca de meio milhão de casos de brucelose são registados todos os anos em todo o mundo. A China é “responsável” por dezenas de milhares e registou, em 2019, 44.036 casos e uma morte e em 2018 37.947 casos e zero mortes.

Os primeiros casos foram registados na cidade chinesa de Chongqing, no sudoeste do país, em 1905. A China teve lidar, anos mais tarde, na década de 1950/60, com uma epidemia generalizada da doença.

É mais comum a brucelose ser detectada em áreas rurais no Oeste e Norte da China e esta patologia é categorizada como uma doença infecciosa de Classe B (num sistema que tem três níveis).

Em 2019, a China registou mais de dez milhões de casos de doenças infecciosas, incluindo a brucelose, a escarlatina, a disenteria e a dengue.