Foto

Megafone

Regresso ao futuro: o papel da tecnologia na resolução dos grandes desafios

É fundamental olhar para o papel que a tecnologia pode ter na resolução dos grandes desafios dos nossos tempos.

No filme Regresso ao Futuro de Robert Zemeckis, os personagens principais navegam entre o passado e o futuro num longo processo de descoberta e transformação. Ao longo destas viagens, Marty (um dos protagonistas) tem como missão principal consertar os danos por ele criados na história.

Apesar de a ficção e a realidade se cruzarem mais do que julgamos, ainda não temos a capacidade de viajar no tempo ou consertar os danos que temos vindo a criar ao longo da história. Sabemos hoje que os grandes desafios ambientais ou, em geral, da sociedade resultam da intervenção humana (aquecimento global, desigualdade social, etc.). Sabemos também que a inversão desses danos é particularmente difícil porque, ao contrário dos personagens do filme, não podemos mudar o passado. Podemos, no entanto, mudar o futuro e as consequências das nossas acções.

Os Objectivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) propostos pela ONU são um bom exemplo de construção de um quadro comum de intervenção na sociedade e de redefinição do nosso futuro conjunto. Todavia, continuamos longe de os atingir. Apesar de todos os esforços desenvolvidos por organizações privadas, públicas e sociais na recolha e análise de dados, apenas 32% dos indicadores constantes dos ODS são devidamente monitorizados e seguidos segundo um relatório produzido pela ONU em 2019. Esta é uma das razões pelas quais é fundamental olhar para o papel que a tecnologia pode ter na resolução dos grandes desafios dos nossos tempos.

Há três grandes áreas onde a tecnologia pode desempenhar um papel relevante na aceleração do impacto positivo na sociedade:

1. Data Science como força para o bem
Existem movimentos globais por exemplo, o Data Science for Social Good que têm feito um trabalho extraordinário na construção e disponibilização de bases de dados sobre os principais problemas da sociedade. A verdade é que é possível fazer mais. Os data scientists têm desempenhado um papel importante na sociedade actual. Este papel passará a assumir uma relevância ainda maior no futuro. Esta profissão é particularmente importante quando falamos de impacto. Isto é tanto mais verdade quanto mais evoluímos para uma sociedade de riqueza onde o talento procura mais propósito na sua carreira. A mistura destas duas realidades permitirá no futuro a captação de talento capaz de analisar dados, prever o impacto e construir abordagens comuns na sua avaliação. Esta nova realidade permite igualmente a criação de mecanismos de informação, decisão e de reporte, públicos e privados, mais eficientes, accountables e transparentes. Competições como o Data Science Africa e o Google’s AI Impact Challenge são bons exemplos de aplicação de data science for social good.

2. Escalar o impacto
A tecnologia também tem o potencial de escalar soluções para os grandes desafios globais. Na realidade, a tecnologia permite a linearização de soluções, fazendo com que ganhem a capacidade de crescer exponencialmente. A propósito disto, é importante olharmos para os esforços que as grandes organizações têm realizado no apoio a iniciativas de impacto. O Social Innovation Tournament (SIT), promovido pelo Instituto do Banco Europeu de Investimento (BEI), foca-se no apoio a soluções com grande potencial de escala, sendo a grande maioria suportados por tecnologia. A Navilens – aplicação que garante o acesso sem limitações a pessoas com dificuldade de visão – ou a Beeomonitoring – plataforma que utiliza abelhas como drones e inteligência zrtificial na produção e análise de dados para a conservação de ecossistemas – são boas ilustrações de soluções que utilizam a tecnologia para escalar o seu impacto nas comunidades, em públicos vulneráveis ou no ecossistema.

3. Coligações vencedoras
Finalmente, a tecnologia aproxima-nos. Esta é uma ideia tão simples quanto difícil de implementar. A construção de coligações vencedoras focadas no bem comum permitirá produzir mudanças sistémicas. Estas mudanças podem acontecer num sector, numa indústria ou na sociedade como um todo. A Plataforma Fashion for Good é um bom exemplo numa indústria que contribui para muitos dos desafios que temos enquanto sociedade.

O nosso futuro está em causa, mas o regresso a um futuro melhor não implica mudar o passado; implica olhar para o futuro com as ferramentas que a modernidade nos dá para criar um mundo melhor.

Sugerir correcção