Morreu o escritor de viagens Javier Reverte

O escritor e jornalista espanhol Javier Martínez Reverte esteve em Lisboa como correspondente nas década de 70.

literatura-viagens,1-festival-literario-gardunha,viagens,literatura,culturaipsilon,livros,
Foto

O escritor e jornalista espanhol Javier Martínez Reverte, conhecido pelos seus livros de viagens, morreu em Madrid aos 76 anos, noticia este sábado a imprensa espanhola. Reverte, que em Portugal publicou Deus, o Diabo e a Aventura (Quetzal, 2010) e As Noites de Sarajevo (Texto, 2004), tem uma carreira de mais de três décadas de jornalista, tendo sido durante muitos anos correspondente no estrangeiro, nomeadamente em Lisboa em 1978, mas também em Londres (1971-1973) ou Paris (1973-1977), e inúmeras vezes enviado especial.

Numa das suas passagens por Portugal já como escritor de viagens, Javier Reverte, o nome com que assinava os seus livros, disse que “partir de viagem é já começar a escrever, embora ainda não tenhamos posto as letras”. “Viajo para um lugar conduzido por uma emoção”, explicou numa conversa com o PÚBLICO em 2014 durante o 1.º Festival Literário da Gardunha, acrescentando que, no seu caso, essa emoção vem muitas vezes de um filme ou de um livro. “Todas as grandes viagens começam numa livraria.”

Com mais de vinte livros dedicados à literatura de viagens, a sua trilogia africana, que começou a publicar em 1996 com o título O Sonho de África: em busca dos mitos brancos do continente negro, é considerada uma referência do género. Aqui, Reverte conta a sua primeira grande viagem em África, recuando aos primeiros exploradores europeus da África Oriental e à sua colonização, nomeadamente do Uganda, Tanzânia e Quénia, fazendo ao mesmo tempo reviver os grandes escritores que descreveram o continente. 

Deus, o Diabo e a Aventura é uma biografia do jesuíta Pedro Páez (1564-1622), missionário na Etiópia e descobridor do Nilo Azul.

Sugerir correcção