Detido cidadão europeu que enganava brasileiros com férias para depois os escravizar no Alentejo

Cidadãos braileiros não tinham qualquer vínculo laboral nem remuneração adequada. Vítimas testemunharam e regressaram ao seu país.

servico-estrangeiros-fronteiras,imigracao,sociedade,alentejo,crime,justica,
Foto
PP PAULO PIMENTA

Um cidadão da União Europeia, proprietário de uma herdade no Baixo Alentejo, foi detido na quinta-feira pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) e preso preventivamente pelos crimes de tráfico de seres humanos e auxílio à imigração ilegal, indica o SEF em comunicado.

Segundo a nota, o cidadão deixou entrar de forma irregular em Portugal cidadão brasileiros, aliciando-os para viagens turísticas, conduzindo-os depois à sua herdade. Aí escravizava essas pessoas: sem vínculo laboral, sem remuneração adequada, controlados e coagidos a executarem variados trabalhos, desde construção (na edificação ou restauração da herdade) ao trabalho doméstico.

“Ao detido foi apreendida prova documental e pericial que corroborou a alegada actividade ilícita que efectuava”, refere o comunicado do SEF. As vítimas deram também o seu testemunho e regressaram ao Brasil.

A operação decorreu após uma investigação criminal, tendo os mandados judiciais de detenção e busca domiciliária sido emitidos pelo Tribunal Judicial de Grândola.

No final da tarde de quinta-feira, o detido foi presente ao Tribunal Judicial de Setúbal “para interrogatório judicial e consequente aplicação de medidas de coação – prisão preventiva”.

Sugerir correcção