Não haverá consenso para medidas de âmbito nacional nem para confinamento geral

Partidos revelam pouco do que pretendem dizer a António Costa, nesta sexta-feira, mas não parecem inclinados para aceitar uma nova “quarentena”.

Confinamento geral de Março não deverá regressar
Foto
Confinamento geral de Março não deverá regressar

Os partidos que vão nesta sexta-feira a São Bento não adiantam muito sobre o que esperam ouvir na reunião com o primeiro-ministro, mas o pouco que dizem permite uma conclusão: não haverá consenso parlamentar para uma solução do tipo do confinamento geral que em Março encerrou o país. O PÚBLICO fez uma ronda pelos nove partidos que serão recebidos em São Bento mas PS, PCP, Iniciativa Liberal, e PSD não quiseram adiantar o que esperam ou o que vão dizer ao primeiro-ministro, prometendo uma reacção para depois da reunião. Rui Rio tem defendido que a economia portuguesa não aguenta um segundo confinamento geral – “Parar o país e pôr as pessoas em casa não é possível”, disse em Setembro -, mas optou por fazer a sua própria audição de especialistas antes do encontro com António Costa.