“Há um monstro na minha cozinha” — e só quer falar sobre a destruição da Amazónia

"Há um monstro na minha cozinha e eu não sei o que fazer", treme uma criança, frente a frente com um jaguar assustador. Mas tudo muda quando percebe que o monstro, afinal, está tão assustado quanto ela. "Há um monstro na minha floresta, e eu não sei o que fazer", esconde-se por sua vez o jaguar, fugindo das imagens de máquinas escavadoras que reduzem a biodiversidade da Amazónia a terrenos para produção de soja e gado.

Monster, a animação narrada pelo actor Wagner Moura (Pablo Escobar em Narcos), faz parte de uma nova campanha da Greenpeace contra a destruição causada pelas grandes empresas produtoras de carne. Em Setembro, a organização não governamental lançou uma petição para que empresas como Burger King, McDonald's e KFC parassem de usar carne da multinacional brasileira JBS, um dos maiores produtores de carne do mundo, e começassem "a substituir metade das suas opções com alternativas à base de plantas, até 2025". 

A curta-metragem foi produzida pelo estúdio Cartoon Saloon, vencedor de quatro Óscares, e é apoiada pela Meat Free Monday, a campanha lançada pela família McCartney que incentiva todos a deixarem a carne fora do prato, às segundas-feiras. A maior floresta tropical do mundo é "vital na luta contra as alterações climáticas", lembra Paul McCartney. "É por isso que reduzir o consumo de carne é tão importante. Para resolver este problema, precisamos que os supermercados e os restaurantes de comida rápida façam a transição para alternativas menos destrutivas. As nossas florestas, e os nossos futuros, dependem disso."

Monster é a sequela de RanTang, a curta-metragem de 2019 onde um oragontango invade o quarto de uma menina para lhe mostrar com a produção de óleo de palma não sustentável destruiu a sua casa. 

Sugerir correcção