Opinião

Procuradoria Europeia: um cambalacho sem fim

A ministra quis desde o primeiro momento que o procurador europeu fosse José Guerra – só que não quis assumi-lo. Foi uma escolha pessoal da ministra? Nem pensar! A ministra limitou-se apenas a impedir que todos fossem escolhidos… menos ele.

O caso do representante de Portugal junto da Procuradoria Europeia é uma telenovela infindável – quando pensávamos que tudo já tinha sido visto e dito, eis que aparece uma nova personagem para complexificar a trama e agravar as suspeitas de que a ministra da Justiça tudo fez para colocar um nome da sua confiança na recém-criada Procuradoria da União Europeia, órgão supostamente independente que ficará responsável pelo combate à fraude, em particular na aplicação de fundos europeus.