Republicanos acusam hackers de roubarem quase dois milhões de euros da campanha de Donald Trump

Republicanos afirmam que os hackers conseguiram o dinheiro através da adulteração de facturas enviadas em nome de fornecedores. Dinheiro ia ser usado para comprar merchandising como chapéus e outros objectos para a campanha de Donald Trump.

partido-democrata,donald-trump,america-norte,eua,mundo,america,
Foto
Reuters/BING GUAN

O Partido Republicano avançou esta quinta-feira em comunicado que um grupo de hackers roubou 2,3 milhões de dólares (1,9 milhões de euros) de uma conta dos republicanos de Wisconsin que estava a ser usada para apoiar a candidatura e reeleição do presidente dos EUA, Donald Trump, naquele estado que é considerado um dos mais decisivos nestas eleições presidenciais.

Os republicanos afirmam que os hackers conseguiram o dinheiro através da adulteração de facturas enviadas em nome dos fornecedores do partido. A Associated Press (AP) avança que esse dinheiro ia ser usado para comprar merchandising como chapéus e outros objectos para a campanha de Trump.

Segundo o comunicado, o partido apercebeu-se da actividade suspeita a 22 de Outubro, na passada quinta-feira, e entrou em contacto com o FBI no dia seguinte. A Reuters contactou o FBI, mas não obteve uma resposta ao e-mail enviado.

“Estes criminosos mostraram que existia um nível de familiaridade com as operações do partido no final da campanha”, disse o presidente do Partido Republicano de Wisconsin, Andrew Hitt, em comunicado.

Em 2016, Trump conseguiu ganhar o estado de Wisconsin, do chamado Rust Belt (cintura da ferrugem), por uma diferença de apenas 0,8%. As sondagens dão uma vantagem de sete pontos a Joe Biden, e o Partido Democrata, que tem acusado o Partido Republicano de tentar limitar o voto em estados decisivos, esperava uma decisão semelhante à da Pensilvânia, procurando beneficiar do aumento do número de votos por correspondência.

Esta sexta-feira, Trump e Biden vão ambos estar em campanha no Wisconsin.

Sugerir correcção