Marroquinos estiveram em greve de fome por causa de telemóveis. SEF diz que estão retidos para investigação

Cidadãos marroquinos alegam que lhes retiraram os telemóveis. Um deles é arguido por auxílio à imigração ilegal e tráfico de seres humanos. Solidariedade Imigrante, que denunciou greve de fome, diz: “Nada justifica um tratamento destes perante todo o grupo, a maioria serão vítimas de tráfico de seres humanos e não traficantes.”

direitos-humanos,servico-estrangeiros-fronteiras,imigracao,sociedade,algarve,justica,
Foto

Seis cidadãos marroquinos que desembarcaram no Algarve a 15 de Setembro e receberam ordem da expulsão começaram na segunda-feira uma greve de fome reclamando não ter acesso aos seus telemóveis. Entre os seis que dizem não conseguir  falar com a família há 40 dias está uma mulher grávida de seis meses, segundo uma mensagem partilhada pela associação Solidariedade Imigrante (Solim). Entretanto, depois da publicação desta notícia, o SEF informou que os cidadãos já tinham terminado a greve de fome na quarta-feira.