Exames nacionais de 2021 mantêm normas excepcionais criadas no anterior ano lectivo

Os exames do 9.º ano, que regressam este ano lectivo, também vão ter perguntas de carácter obrigatório e opcional.

sociedade,
Foto
Paulo Pimenta

Os professores vão voltar a contabilizar, na classificação dos próximos exames nacionais, apenas as respostas às perguntas obrigatórias e àquelas em que o aluno tenha melhor pontuação, à semelhança das normas excepcionais aplicadas no ano passado.

De acordo com a informação publicada no site do Instituto de Avaliação Educativa (Iave), os alunos que realizem exames nacionais neste ano lectivo vão continuar a beneficiar das regras aplicadas na classificação das provas finais do ano passado, no contexto da pandemia de covid-19, apesar de o ensino presencial ter sido retomado logo em Setembro.

Nos exames nacionais do 11.º e 12.º ano e nos exames de final de ciclo do 9.º (que serão retomados este ano), cada prova terá um conjunto limitado de itens de resposta obrigatória, que, segundo o Iave, irão incidir em competências consolidadas ao longo do percurso escolar ou em informação facultada na própria pergunta.

Todos os restantes itens podem ser respondidos, mas só serão contabilizadas para a classificação final as respostas àqueles em que os alunos tiverem melhor pontuação, “num número a estabelecer de acordo com a especificidade de cada prova e a divulgar oportunamente”.

“Por exemplo, numa prova composta por 20 itens, 14 poderão ser obrigatoriamente contabilizados para a classificação final; dos seis itens restantes, todos poderão ser respondidos pelos alunos, mas apenas serão considerados para a classificação final da prova os três cujas respostas obtenham melhor pontuação relativamente à cotação total do item”, ilustra o organismo responsável pela avaliação externa.

Apesar das normas semelhantes, o exemplo dado na informação sobre os exames deste ano difere daquele apresentado no ano lectivo passado, em que apenas cinco dos 20 itens da prova eram de resposta obrigatória, mas o Iave não especifica se nos próximos exames haverá mais ou menos itens opcionais.

Quando as novas orientações para a classificação dos exames nacionais foram divulgadas, em Maio, previa-se que se aplicassem apenas às provas realizadas naquele ano lectivo, respondendo aos constrangimentos criados pela pandemia de covid-19, que obrigou à suspensão das aulas presenciais em Março.

No entanto, neste ano lectivo os alunos vão continuar a beneficiar destas regras, que se estendem também às provas de final de ciclo do 9.º ano de Português e Matemática, que svoltam a realizar-se depois de terem sido suspensas em 2019/2020.  

Regressam também as provas de aferição do 1.º, 2.º e 3.º ciclos, nas disciplinas de Português, Matemática, Educação Artística e Educação Física para o 2.º ano, Português e Inglês no 5.º ano e Matemática e Inglês no 8.º ano.  

No ano passado, o Iave permitiu ainda que os alunos continuassem a poder consultar dicionários durante os exames das línguas estrangeiras, apesar de inicialmente estar prevista a sua interdição a partir desse ano lectivo, mas as novas informações não fazem referência a esse tema.

Sugerir correcção