Há alterações às leis laborais que caem se BE for contra na votação final

Governo mantém disponibilidade para negociar com o BE e não deixará cair o alargamento da prestação social, nem o reforço do SNS. Mas, por exemplo, compromissos sobre trabalho precário ficam sem efeito.

O primeiro-ministro, António Costa, não cumprirá o que prometeu ao BE, se este partido votar contra o Orçamento do Estado na votação final global
Foto
O primeiro-ministro, António Costa, não cumprirá o que negociou com o BE, se este partido votar contra o Orçamento do Estado na votação final global LUSA/ANTÓNIO COTRIM

Algumas das alterações às leis laborais que o Governo se comprometeu a fazer, num documento que entregou ao BE durante o processo negocial sobre o Orçamento do Estado para 2021, ficarão sem efeito, no caso de o BE votar contra a proposta de contas do Estado na votação final global a 26 de Novembro, soube o PÚBLICO.