Ípsilon

Livros

A cegueira de Deus: crítica feita em 1995 ao Ensaio Sobre a Cegueira de José Saramago

A cegueira propaga-se como uma epidemia e o poder — discricionário e autoritário - isola os infectados no espaço fechado de um manicómio, que funciona como um “labirinto racional” — em contraponto, o resto do mundo é um “labirinto dementado”. Trata-se de uma alegoria — a cegueira que domina os homens e os priva da centelha da luz da razão; uma alegoria significa dizer uma coisa para significar outra. Uma história do sofrimento, sendo o romancista o seu arauto?