Alice e o Chapeleiro Maluco encontram-se num brunch no Marriott

O Lisbon Marriott Hotel tem a partir deste fim-de-semana uma proposta para as famílias. Mas há outras sugestões como tapas ao final da tarde ou, durante a semana, transformar um quarto num escritório.

restauracao,gastronomia,bares,fugas,lisboa,turismo,
Foto
O brunch começa com uma bebida de boas-vindas DR

O desafio é claramente para pais e filhos, a magia do País das Maravilhas convertida numa refeição que não é um almoço nem um lanche, mas um brunch de fim-de-semana para a família descontrair.

No início do ano, o Lisbon Marriott Hotel criou um chá com o tema de Alice no País das Maravilhas. A partir deste fim-de-semana (e só aos sábados e domingos), a sugestão é o brunch Mad Hatter, onde um Chapeleiro Maluco acolhe todos os clientes, dando especial atenção aos mais pequenos. Durante quatro horas, das 12h às 16h, o restaurante Citrus, junto à piscina do hotel, transforma-se e convida a entrar no mundo criado por Lewis Carroll.

PÚBLICO -
Foto
DR

Com as novas regras de higiene e segurança, tudo foi pensado no Marriott. Além do habitual álcool gel, existe um tapete para desinfectar o calçado, logo à entrada do hotel. Na impossibilidade de ter buffett, a opção passa por dois menus, o da Alice e o do Chapeleiro Maluco, o dela mais saudável, o dele mais tradicional, ambos da autoria do chef António Alexandre.

Os dois menus começam com uma bebida de boas-vindas; uma salada de morangos, manjericão, abacate, nozes e mozzarella; e um trio de húmus (crudités vegetais, tostas de trigo, integrais e alfarroba).

Depois, o da Alice prossegue com um trio de shakshuba (ovo, tomate e pimentos), uma bruschetta (requeijão, mel e compota de abóbora), tosta de abacate (ovo escalfado, lascas de queijo da ilha curado 12 meses). Em seguida, os doces: pudim de chia, mousse de limão e brigadeiro de chocolate com pipocas.

Já o do Chapeleiro Maluco oferece ainda feijão com tomate acompanhado de bacon e salsichas, ovo Benedict (ovos escalfados, fiambre de peru e molho holandês), uma poke bowl de salmão fresco (salmão marinado, abacate, arroz, rabanete, sésamo, soja, noori). E, por fim, cheesecake, Red Velvet Cake (bolo de beterraba, ganache de chocolate e creme de baunilha) e o brigadeiro de chocolate com pipocas.

O brunch custa 30 euros, se incluir as bebidas serão mais 8 euros. Para as crianças, o custo é de 15 euros.

Outras propostas

Para quem não gosta de brunchs ao fim-de-semana, o Marriott tem outra opção que acontece no Bar Tapas & Tiles - Café Terrace, situado no lobby do hotel, com vista para o jardim e a piscina. As propostas são petiscos, das 17h às 23h, todos os dias.

PÚBLICO -
Foto
DR

O Marriott, tal como todas as empresas do ramo da restauração e hotelaria, tem procurado atrair clientes com novas sugestões. Com quase 700 quartos que antes da pandemia eram ocupados sobretudo por tripulações das companhias aéreas, hoje o hotel lisboeta tem uma taxa de ocupação ronda os 20%, diz fonte do Marriott.

Por isso, uma das ofertas criadas são os quartos escritórios, a pensar em quem está em teletrabalho ou, por exemplo, precise de ir à capital reunir com clientes ou parceiros. Assim, o hotel substituiu as camas de meia dúzia de quartos por mesas e algumas cadeiras de escritório. Os quartos têm Internet de alta velocidade. Caso o cliente queira o escritório e o quarto por uma noite fica por 115 euros; se a opção for quarto-escritório fica por 65 euros, das 8h às 18h; e só o quarto transformado em escritório tem um custo de 40 euros.

Esses clientes têm acesso ao ginásio, estacionamento e 30% de desconto no restaurante e no room service. A aceitação tem sido tal que já foi duplicado o número de quartos disponibilizados, avança a mesma fonte.

Sugerir correcção