Serviço de Encontros do Facebook chega esta quinta-feira a Portugal. “É a altura certa”, dizem responsáveis

O Facebook Dating chega à Europa a partir da madrugada desta quinta-feira. Em Portugal chama-se Encontros do Facebook. O serviço é um rival gratuito de aplicações com o Tinder, OkCupid e Bumble.

redes-sociais,internet,privacidade,aplicacoes,tecnologia,facebook,
Foto
A aplicação já facilitou mais de 1,5 mil milhões de encontros em todo o mundo EPA/ETIENNE LAURENT

Depois de um atraso de nove meses, o Facebook Dating chega a Portugal. O serviço, que será chamado Encontros do Facebook em português, permite que os utilizadores com mais de 18 anos procurem parceiros românticos (dentro ou fora do seu grupo de amigos na rede social) directamente na aplicação do Facebook com base na localização geográfica, preferências, eventos frequentados e grupos em comum. É um rival directo de serviços como o Tinder, OkCupid e Bumble.

“A nossa versão é grátis e é sobre ajudar pessoas a criar conexões, a gerar conversas, e criar relações com base na comunicação. Sabemos sempre quando alguém gosta do nosso perfil”, esclarece Kate Orseth, gestora dos Encontros do Facebook, numa pré-apresentação da ferramenta a jornalistas em que o PÚBLICO participou, esta terça-feira. De acordo com dados da empresa, o serviço já promoveu 1,5 mil milhões de encontros (presenciais ou virtuais) nos 20 países em que está disponível — incluem os Estados Unidos, Brasil e Canadá. 

“Isto não é sobre jogos e não é sobre swipes (movimento de deslizar com o dedo), acrescenta a responsável, numa breve alusão ao serviço rival Tinder, em que parte da estratégia passa pelos utilizadores nunca saberem exactamente quantas pessoas estão interessadas neles. 

O sistema do Facebook é mais simples: quando alguém vê um utilizador potencialmente “interessante” envia-lhe um coração. O outro utilizador é alertado e, se também estiver interessado, pode-se começar um “encontro virtual” (essencialmente, uma videochamada). Para evitar perfis falsos a circular, só se pode usar os Encontros do Facebook quando se tem uma conta no Facebook e os pseudónimos são proibidos (o utilizador pode “esconder” o apelido, mas o nome que aparece no perfil do Facebook é o nome que aparece no perfil dos Encontros do Facebook). Para poupar tempo, o utilizador tem a opção de partilhar algumas publicações no Instagram e no Facebook directamente no perfil do Dating. 

Há no entanto alguns ecos da fórmula do Tinder. A ferramenta “secret crush ("paixões secretas” em português), por exemplo, permite ao utilizador seleccionar até nove amigos ou seguidores no Facebook e no Instagram por quem tenha algum interesse romântico. A informação é privada, mas se algum desses utilizadores também utilizar os Encontros do Facebook e também identificar o utilizador como uma “paixão secreta”, ambos são notificados. 

“Todos nós temos aquele amigo de que gostamos e que não dizemos. Isto quebra a barreira inicial”, justifica Kate Orseth. 

Questionada pelo PÚBLICO sobre a escolha de lançar a aplicação numa altura em que os países europeus recomendam o isolamento social, Orseth explica que “é a altura certa” e que “a equipa queria garantir que o serviço estava pronto para os utilizadores europeus”. “O serviço é simples, acessível, tem a opção de encontros virtuais e partilhamos informação sobre cuidados a ter com a covid-19”, argumenta a responsável.

Com a pandemia da covid-19, várias aplicações de namoro têm alterado a forma como publicitam os serviços para promover encontros virtuais, tornando-se uma opção para pessoas que procuram parceiros amorosos sem sair de casa. Só nos EUA, o número de utilizadores de aplicações de namoro deve chegar aos 26,6 milhões até ao final do ano de acordo com dados da Bloomberg — é um aumento de 18,4% face a 2019.

PÚBLICO -
Foto
Uma das funcionalidades é o Secret Crush FB

Pagar com dados

Ao contrário de outros serviços do género, os Encontros do Facebook são sempre grátiso utilizador “paga” com dados. A publicidade é a principal fonte de receitas para o Facebook e são os dados do utilizador (localização, interesses, idade, profissão) que permitem mostrar anúncios direccionados a cada utilizador. Ao fazer o registo nos Encontros do Facebook, por exemplo, o utilizador divulga a sua localização, bem como a altura, género, número de filhos e religião do “parceiro ideal”. O Facebook reforça, porém, que a informação não é toda utilizada para publicidade.

“Não utilizamos dados sobre categorias protegidas como a orientação sexual”, realça Kate Orseth. Para o Facebook, no que toca a publicidade há categorias protegidas (por exemplo, o género, orientação sexual, raça, e religião) e categorias não-protegidas que incluem a ocupação, idade e localização dos utilizadores. Estas últimas são usadas para publicidade e para melhorar a “experiência de utilização” das várias ferramentas.

“Os Encontros do Facebook sugerem correspondências com base nas actividades, preferências e informações partilhadas pelo utilizador”, clarifica Orseth que nota que o sistema é “completamente compatível com o Regulamento Geral para a Protecção de Dados.”

A ferramenta deveria ter chegado à Europa em Fevereiro, mas a comissão irlandesa para a Protecção de Dados, que tem jurisdição sobre o Facebook porque a sede da empresa na Europa é em Dublin, barrou o lançamento da aplicação por dúvidas quanto à protecção de dados e falta de documentação e informação sobre o sistema. 

A equipa do Facebook não adianta mais detalhes sobre o processo, mas diz que o sistema respeita as regras europeias e que a privacidade e a segurança são os focos do sistema. Por exemplo, o perfil, mensagens e mensagens do Encontros no Facebook nunca aparecem no Instagram ou no Facebook dos utilizadores (a não ser que queiram). O Facebook também colaborou com especialistas de segurança para criar um sistema em que se pode proibir alguém de enviar fotos, vídeos, links, ou até formas de pagamento.

“Isto é uma ferramenta opcional”, sublinha Kate Ortheth. “É a pessoa que escolhe se quer criar um perfil e pode apagá-lo a qualquer altura.”

Os Encontros do Facebook chegam à Europa a partir da madrugada de quinta-feira, 21 de Agosto. Deverão estar disponíveis em Portugal nas próximas horas.

Sugerir correcção