Dos testes às máscaras, o que se comprou numa Europa pouco transparente?

De todos os países europeus, Portugal foi aquele com o maior número de contratos analisados e um dos mais transparentes – por cá, a divulgação dos contratos públicos é obrigatória. Na Ucrânia e na República Checa, chegou a pagar-se 37 euros por respiradores FFP2.

contratos-covid19,covid19,coronavirus,pglobal,sociedade,
Foto
Um teste à covid-19 em Paris, França REUTERS/Christian Hartmann

A chegada da pandemia à Europa obrigou a medidas dispendiosas e urgentes e fez com que muitos países suspendessem as regras que existem para contratos públicos. Muitos países europeus viram milhões de euros serem gastos sem que os contribuintes saibam onde. Em Portugal, as instituições públicas são, há mais de uma década, obrigadas a divulgar os contratos de ajustes directos e concursos públicos.