Pelo menos 15 pessoas esmagadas no Afeganistão enquanto esperavam vistos para o Paquistão

Milhares de pessoas concentraram-se nas imediações do consulado paquistanês em Jalalabad que não emitia vistos há sete meses.

mundo,asia,paquistao,afeganistao,medio-oriente,
Foto
Milhares de pessoas concentraram-se nas imediações do consulado paquistanês em Jalalabad à espera de um visto Reuters/PARWIZ

A busca por um visto para entrar no Paquistão acabou de forma trágica para 15 pessoas que morreram esmagadas numa cidade no Afeganistão, onde milhares de pessoas se concentraram para garantir um documento.

Cerca de três mil pessoas juntaram-se esta terça-feira num estádio perto do consulado paquistanês em Jalalabad, no leste do Afeganistão. Foi quando tentavam sair do local que várias pessoas foram esmagadas pela multidão.

“Fiquei na fila a noite toda, mas a certa altura as pessoas começaram a ficar irritadas, começaram a empurrar e muitos de nós caímos ao chão”, disse à Reuters Farmanullah, que testemunhou o incidente. Entre as 15 vítimas, onze são mulheres, e entre as dezenas de feridos há muitos idosos, segundo as autoridades locais.

Há sete meses que o consulado paquistanês de Jalalabad não emitia vistos por causa das restrições impostas pela contenção da pandemia da covid-19. Para evitar a concentração de muitas pessoas, as autoridades locais deram instruções aos requerentes de visto para se deslocarem para o estádio nas imediações do consulado onde deviam aguardar, explicou o porta-voz do governador da província de Nangarhar, Attaullah Khogyani.

No entanto, milhares de pessoas de províncias vizinhas acorreram ao consulado em Jalalabad depois de um rumor de que havia mais vistos do que o normal a serem distribuídos ter circulado nas redes sociais, segundo a Al-Jazeera. Muitos procuram vistos para obter tratamentos médicos, trabalhar ou visitar familiares no Paquistão.

O Paquistão é um dos poucos países para onde os afegãos conseguem garantir vistos com alguma facilidade. Há três milhões de afegãos no país vizinho, onde procuram fugir à guerra, à perseguição religiosa e à falta de oportunidades económicas.

O embaixador paquistanês no Afeganistão, Mansoor Ahmad Khan, lamentou as mortes e garantiu que o Governo de Islamabad está empenhado em “discutir com as autoridades afegãs formas de melhorar a distribuição de vistos”.

Sugerir correcção