Sporting pede VAR mais “transparente” após clássico contra FC Porto. Amorim suspenso durante seis dias

No clássico contra o FC Porto, “leões” queixam-se de uma grande penalidade que terá ficado por assinalar. Rúben Amorim foi expulso em sequência dessa decisão e conheceu esta quarta-feira o castigo.

Foto
Frederico Varandas e Rúben Amorim LUSA/ANDRÉ KOSTERS

O Sporting defendeu em comunicado, publicado esta quarta-feira, que os protocolos usados pelo videoárbitro (VAR) sejam alterados, no sentido de tornar esta ferramenta mais “uniforme” e “transparente”. Esta comunicação surge após o clássico do passado sábado frente ao FC Porto, em que os “leões” se queixam de um lance para grande penalidade que foi alvo de intervenção do VAR.

“O Sporting Clube de Portugal defende, por isso, que o protocolo do VAR seja objecto de intervenção no sentido da adopção de critérios claros e inequívocos de uniformização, que mantenham o princípio da intervenção mínima, mas garantam que a intervenção efectivamente não ocorre quando não pode ocorrer, e que efectivamente ocorre quando tem de ocorrer”, explica o clube “leonino” no comunicado.

Já no tempo de compensação do primeiro tempo na partida frente ao FC Porto, o árbitro Luís Godinho assinalou uma falta de Zaidu sobre Pedro Gonçalves na área dos portistas. Penálti e segundo amarelo para o reforço nigeriano, um contratempo para os “dragões” que teriam de jogar o segundo tempo em inferioridade numérica. Contudo, após indicação do VAR da partida, o árbitro avaliou novamente as imagens e reverteu a decisão. Na sequência, Ruben Amorim foi expulso por palavras dirigidas ao árbitro auxiliar. O treinador do Sporting recebeu seis dias de suspensão e 3825 euros de multa como castigo, decisão do Conselho da Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) conhecida na tarde desta quarta-feira.

No final do jogo, o descontentamento dos “leões” era evidente e o presidente do clube, Frederico Varandas, dirigiu-se à sala de imprensa de Alvalade para criticar a arbitragem do clássico: “Hoje [sábado] o Sporting está triste porque perdeu dois pontos. Acho que o futebol português também está triste porque teima em não mudar. Já vi o lance várias vezes e só faço uma pergunta: este mesmo lance, este possível penálti, sabem quando é que era revertido no Estádio do Dragão ou na Luz? Nunca, nunca!”

As palavras de Frederico Varandas não ficaram sem reposta: ao Porto Canal, Pinto da Costa disse que o presidente do Sporting fará um serviço ao clube quando “se dedicar à medicina”, reiterando também que o actual dirigente “leonino” foi o único beneficiado com o ataque à equipa principal na Academia de Alcochete, em Maio de 2018.