Eleições nos EUA: microfone dos candidatos vai poder ser desligado durante o último debate

Debate de quinta-feira vai ter alterações para impedir as interrupções constantes que marcaram o anterior. Trump aceita, mas acusa organizadores de parcialidade.

No primeiro debate presidencial, as interrupções foram constantes
Foto
No primeiro debate presidencial, as interrupções foram constantes Reuters/BRIAN SNYDER

No próximo debate entre os candidatos às eleições presidenciais dos EUA será possível silenciar os seus microfones para evitar as interrupções que marcaram o primeiro encontro.

A decisão foi anunciada pela Comissão para os Debates Presidenciais, que esteve reunida na tarde de segunda-feira, mas a hipótese tinha sido abordada desde o primeiro debate entre Donald Trump e Joe Biden, no final de Setembro. O debate foi pródigo em interrupções, sobretudo da parte do actual Presidente que cortou o discurso do seu adversário 71 vezes, tendo Biden feito o mesmo apenas 22, de acordo com o site Axios.

No debate final, marcado para quinta-feira (madrugada de sexta em Portugal continental), o microfone de um candidato será desligado durante a intervenção inicial de cada um dos segmentos – em que os candidatos respondem directamente a uma pergunta do moderador. Na fase seguinte, os microfones de ambos voltam a ser ligados para que haja uma “discussão aberta”, dizem os organizadores.

A comissão reconhece que a solução encontrada será criticada por ambas as campanhas. “Uma pode achar que foram longe de mais, outra pode julgar que não vão suficientemente longe. Estamos confortáveis com estas acções que garantem o equilíbrio certo e vão ao encontro do interesse do povo americano, para quem estes debates são realizados”, afirmam os organizadores do debate, através de um comunicado.

A decisão foi tomada por unanimidade, diz uma fonte da comissão à CNN, que sublinha não se tratar de uma mudança das regras do debate, “mas sim um passo para promover a adesão às regras que foram acordadas entre as duas campanhas”.

Ambas as campanhas concordaram com as alterações, embora com críticas do lado de Trump. “O Presidente Trump está comprometido em debater com Joe Biden, independentemente das mudanças de regras à última da hora de uma comissão parcial, na sua última tentativa de favorecer o seu candidato preferido”, afirmou o director da campanha republicana, Bill Stepien.

Trump rejeitou participar no debate da semana passada por não concordar com o formato virtual – proposto por causa da infecção do Presidente pela covid-19. Em vez do debate, ambas as campanhas organizaram entrevistas à mesma hora.

A campanha republicana também mostrou desconforto com a escolha dos temas para o debate final, que incide sobretudo em assuntos internos, como a gestão da pandemia da covid-19. Trump preferia um foco maior na política externa, diz a Reuters.

A campanha democrata esclareceu que houve um acordo prévio para que fossem os moderadores a escolher os temas para o debate. “Como sempre, o Presidente está mais preocupado com as regras do debate do que dar ajuda necessária a um país em crise”, afirmou o porta-voz de Biden, TJ Ducklo.

Sugerir correcção