Pirlo sem Ronaldo no reencontro com Lucescu

Treinador romeno lançou o agora técnico da Juventus com apenas 15 anos, e serão agora adversários na Liga dos Campeões. Bruno Fernandes promovido a capitão do Manchester United na deslocação a Paris.

Foto
Andrea Pirlo vai estrear-se como treinador na Liga dos Campeões Reuters/VALENTYN OGIRENKO

A fase de grupos da Liga dos Campeões está em marcha, com a primeira fornada de jogos servida a Leste, em São Petersburgo (Zenit-Club Brugge) e Kiev, onde a Juventus – ainda sem Cristiano Ronaldo – promete um reencontro emocionante entre o mestre Mircea Lucescu, do Dínamo, e “L’Architetto”, Andrea Pirlo, em estreia como técnico numa competição que venceu por duas vezes.

Cerca de duas horas depois (20h), avançam os restantes jogos dos grupos E, F, G e H, com especial destaque para o Chelsea-Sevilha (os dois últimos vencedores da Liga Europa) e o Paris Saint-Germain-Manchester United… uma espécie de reedição dos oitavos-de-final de 2018/19, quando os ingleses – depois de derrotados (0-2) em Manchester – venceram (1-3) em Paris, com um penálti de Rashford (aos 90+4’), eliminando os franceses.

Com Bruno Fernandes promovido a “capitão” do United, mesmo que o arranque da Champions em tempos de pandemia perca algum encanto, teremos sempre Paris… como marco para o médio português, honrado por Ole Gunnar Solskjaer, que revelou em plena conferência de imprensa o nome do “herdeiro” da braçadeira de Harry Maguire. “Está sentado aqui mesmo ao meu lado”, revelou o técnico norueguês, surpreendendo até o português.

Numa perspectiva diferente, teremos ainda a possibilidade de acompanhar a estreia da jovem estrela em ascensão Eduardo Camavinga, do Rennes, frente aos russos do Krasnodar, ao mesmo tempo que um dos maiores astros da história do futebol, Lionel Messi, procurará encurtar a “distância" de 15 golos para o eterno rival, Cristiano, em contexto de Champions.

O Barcelona recebe os húngaros do Ferencvaros, afastados da prova dos campeões europeus há 25 anos, o que não deixará de provocar impacto na hora do regresso… em Camp Nou. Depois da saída iminente do Barcelona, Messi procura novas referências que o ajudem a encerrar uma história única quando se anuncia a hora do adeus, pelo que nada melhor do que atacar a marca de Ronaldo na competição mais importante de clubes.

Mas voltando ao início e ao reencontro de Kiev, Pirlo vai defrontar o romeno Lucescu, apenas o técnico responsável por ter lançado o jovem Andrea, de 15 anos, no Brescia (de Jorge Cadete). Foi apenas um jogo, é certo, mas, 25 anos depois, é possível que Pirlo não tenha esquecido esse dia, que só voltaria a repetir duas épocas depois.

Na conferência de imprensa, onde sublinhou a importância de vencer o primeiro jogo na Champions, Pirlo referiu-se a Lucescu: “Foi o meu primeiro treinador. Integrou-me na equipa principal com 15 anos”, disse, assumindo “ter recordações maravilhosas dele” e estar “grato para sempre” ao técnico romeno.

Lucescu lembra-se perfeitamente de um miúdo “incrivelmente maduro”, que, entretanto, se transformou numa das maiores referências mundiais, conquistando duas Ligas dos Campeões com o AC Milan, e que agora inicia a caminhada de treinador, fechando o ciclo iniciado em 1995, no Brescia. Mas o técnico não esquece a ausência de Ronaldo, um jogador “notável, que pode fazer a diferença. Claro que com ele em campo a Juventus é mais forte”, reage, certamente aliviado.

Mas em matéria de reencontros há mais algumas felizes coincidências, com a Lazio a receber os alemães do Dortmund, proporcionando ao rei dos goleadores de 2019/20, Ciro Immobile, a possibilidade de rever o Borussia que representou fugazmente há seis épocas, onde rendeu Lewandowski, máximo goleador da última edição da Champions, com 15 golos, mas “apenas” vice-artilheiro em 2019/20, a dois golos dos 36 de Immobile, que assim pode puxar dos galões ante uma equipa onde “só” marcou dez golos.