Paulo Fonseca vence em domingo de muitos golos na Liga italiana

A vitória por 5-2, na capital italiana, permite aos romanos chegarem ao sétimo lugar, com 7 pontos (a cinco do líder AC Milan), enquanto o Benevento caiu para o 10.º lugar.

Jogadores da Roma festejam na Liga italiana
Foto
Jogadores da Roma festejam na Liga italiana LUSA/Riccardo Antimiani

Cinco jogos na Liga italiana, neste domingo, e todos eles tiveram, pelo menos, cinco golos marcados (foram festejados 28 golos em cinco jogos, numa média de 5,6 golos por jogo). Um dos jogos que mais contribuiu foi o triunfo da Roma, de Paulo Fonseca, frente ao Benevento. A vitória por 5-2, na capital italiana, permite aos romanos chegarem ao sétimo lugar, com 7 pontos (a cinco do líder AC Milan), enquanto o Benevento caiu para o 10.º lugar.

No Olímpico, a primeira parte mostrou uma Roma amplamente dominadora. O Benevento fez um único remate nos primeiros 45 minutos, mas não precisou de mais: aos 5’, Caprari rematou à entrada da área e a bola desviou em Mancini, traindo Mirante. A eficácia dos visitantes acabou, ainda assim, por não ser suficiente para travar uma Roma em bom plano.

A equipa de Paulo Fonseca mostrou uma boa variedade de soluções, tanto em profundidade como em combinações curtas, e somou uma boa oportunidade aos 12’, por Pellegrini, e aos 24’, por Mkhitaryan.

Aos 31’, veio o golo. Pellegrini voltou a estar no lance e Pedro marcou na recarga ao remate do médio italiano, num lance em que houve muita presença romana na área adversária.

Quatro minutos depois, a solução foi outra: Mkhitaryan foi lançado em profundidade e fez um grande passe para Dzeko, que finalizou de primeira, com categoria.

A Roma ainda fez um golo aos 45+2’ – que traria alguma lógica ao resultado, perante o pouco que jogou o adversário –, mas o lance, criado por Cristante e finalizado por Mkhitaryan, foi anulado por fora-de-jogo.

Após o intervalo, o cenário repetiu-se. Apesar de menos talentosa individualmente, a equipa do Benevento entrou melhor no jogo, avisou aos 51’, num lance desperdiçado por Caprari, e marcou aos 55’, num penálti convertido por Lapadula, depois de uma primeira defesa de Mirante.

E, tal como na primeira parte, a Roma acabou por “acordar” com o golo sofrido, ainda que o perigo chegasse quase sempre através de contra-ataques. E foi num deles, aos 65’, que Pedro foi lançado em profundidade e sofreu um penálti que Veretout converteu.

O 3-2 convenceu os romanos a baixarem as linhas e o Benevento tomou conta da partida, somando uma grande oportunidade aos 75’, desperdiçada por Ionita. Mas o balanceamento ofensivo do Benevento deu à Roma o espaço que os comandados de Fonseca queriam e uma transição permitiu a Mkhitaryan assistir Dzeko para o 4-2 – bis do bósnio nos golos e do arménio nas assistências.

Mkhitaryan poderia também ele ter festejado, não fosse o falhanço tremendo aos 84’, de baliza aberta. O marcador foi fechado por Bruno Peres, aos 89’, com assistência de Cristante.

Sugerir correcção