PSD-Madeira não fecha a porta a um acordo, mas acredita pouco

Miguel Albuquerque coloca interesses da região autónoma em primeiro lugar, mas garante que não houve conversas entre Lisboa e Funchal. As esquerdas, diz, vão aprovar o Orçamento.

Foto
Miguel Albuquerque, líder do PSD-Madeira Paulo Pimenta

Na antecâmara da discussão sobre o Orçamento de Estado (OE) para 2020, Miguel Albuquerque colocou a orientação dos votos dos três deputados do PSD eleitos pela Madeira à disposição do PS, mediante um conjunto de contrapartidas para a região autónoma. Agora, o líder dos sociais-democratas madeirenses não é tão expansivo e vê pouca ou nenhuma margem para uma negociação.