Fotogaleria
Imagens transformam-se com o simples toque de um dedo
Fotogaleria
A imagem de um nevão passa a figurar uma trovoada Berry Criative
Fotogaleria
A migração controlada passa a representar uma vaga de refugiados provocada por alterações climáticas Berry Criative
Fotogaleria
O esqueleto de uma ave simboliza a extinção de espécies protegidas na Finlândia Berry Criative

Selos finlandeses mudam com o calor e alertam para as alterações climáticas

Correios finlandeses querem usar os selos para alertar para o impacto das alterações climáticas na natureza do país nórdico.

E se pudesses alertar para as alterações climáticas sempre que envias uma carta ou um postal? Foi com essa mensagem em mente que um estúdio finlandês desenhou selos com imagens que mudam de aspecto com um pequeno toque de um dedo. E dão que pensar.

Basta o calor do toque para que os pássaros, pessoas e nuvens retratados nos selos se transformem em esqueletos, migrações em massa e tempestades.

A série Climate Change Stamps, do estúdio Berry Creative, foi encomendada pela Posti, a empresa pública de correios da Finlândia, que quer alertar os seus consumidores para o impacto das alterações climáticas no clima frio e na natureza intacta do país nórdico.

Os designers recorreram a uma tinta que reage ao calor, passando de negra para mais clara. A imagem de uma nuvem com flocos de neve transforma-se numa tempestade de trovoada, para representar o fim dos nevões num país habituado a eles durante uma grande parte do ano; o ícone de uma pessoa dá lugar a vários, em referência aos milhões de refugiados que chegarão ao país devido às alterações climáticas; e o pássaro que passa a esqueleto simboliza a extinção de muitas espécies que vivem apenas na Finlândia.

À revista de arquitectura e design Dezeen, o estúdio afirmou que “ao contrário do efeito no selo, as alterações climáticas não são reversíveis”, pelo que é fundamental agir rapidamente.

Quanto ao uso de cores berrantes e contornos irregulares, o director criativo do Berry Creative, Timo Berry, argumentou que não há tempo para mensagens mais subliminares. “Quero jogar com imagem muito alarmista. Normalmente, gosto de comunicar uma alternativa, uma forma de olhar em frente e não apontar para um problema em concreto, mas aqui não havia espaço para isso.”

O projecto foi nomeado para os prémios anuais da Dezeen, na categoria de design gráfico.

Sugerir correcção