Lisbon Marriott Hotel adopta o “work away” e transforma quartos em escritórios

Depois de permitir que os animais de companhia fiquem hospedados com os donos, o hotel de Lisboa Marriott avança com a transformação de alguns quartos em escritórios de trabalho.

covid19,hoteis,trabalho,fugas,lisboa,turismo,
Foto
DR

É mais uma maneira de minimizar os efeitos negativos da pandemia no sector hoteleiro. O Lisbon Mariott Hotel, que já decidira autorizar que os animais de companhia pudessem ficar instalados nos quartos dos donos, avançou agora para a conversão de alguns seus quartos em escritórios, através da criação do serviço Work Away. Pensado para oferecer as condições ideais de trabalho, pretende apoiar e agilizar o trabalho dos profissionais autónomos e das empresas que “procuram um ambiente tranquilo, seguro e mais económico”, explica um comunicado divulgado pela unidade hoteleira.

Nestes novos escritórios, os visitantes encontram o cenário ideal para teletrabalharem e para organizarem e participarem em pequenas reuniões de negócios ou videoconferências.

A remodelação passou por reduzir a decoração standard dos quartos de hotel a uma mesa com cadeiras de escritório, a uma televisão e a uma casa de banho privada. É garantido ainda o acesso a Internet de alta velocidade em todo o quarto.

Embora se trate de uma estadia diferente da normal, o serviço de quarto é assegurado de igual modo. Os clientes podem usufruir do ginásio, do estacionamento gratuito e de um vale de 30% de desconto no restaurante CITRUS.

Os preços deste serviço variam consoante a intenção dos clientes. Os interessados podem escolher entre escritório e quarto por uma noite (115€) ou escritório apenas (40€), bem como quarto escritório por um dia entre as 8h e as 18h (65€). Cada quarto tem a lotação de dois clientes.

Situado na Avenida dos Combatentes, o Lisbon Marriott Hotel garante cumprir as regras de segurança e higiene impostas pela Organização Mundial de Saúde. 

Texto editado por Sandra Silva Costa

Sugerir correcção