Orçamento da Direcção-Geral do Património Cultural sobe 17% para 67,3 milhões de euros

Aumento de verbas para a Cultura incide sobretudo no património cultural. A DGPC vai dispor de mais 9,8 milhões de euros e o Fundo de Salvaguarda do Património Cultural passa de pouco menos de um milhão para 6,3 milhões de euros.

politica-cultural,patrimonio,artes,cinema,culturaipsilon,orcamento-estado,
Foto
rui gaudencio

O reforço de 35,5 milhões de euros para a Cultura, não incluindo nestas contas a RTP, irá ser prioritariamente investido no património cultural, um sector duramente atingido pelo encerramento forçado de museus, palácios e monumentos durante o confinamento e pela quebra dramática de visitantes mesmo após a reabertura. A Direcção-Geral do Património Cultural (DGPC) vai contar com 67,3 milhões de euros, um aumento de 17% por cento — quase dez milhões de euros — face ao orçamento para 2020, ano em que a sua dotação já subira 14% por comparação com 2019.