Sem reforço de meios, novo confinamento será inevitável, alertam médicos de saúde pública

A última semana foi a pior desde o início da pandemia, com uma média de 1073 novas infecções a cada 24 horas. Número de internados subiu para os 843 e, segundo os médicos de saúde pública, as equipas de saúde pública já não estão a conseguir fazer a vigilância epidemiológica “desejável”.

Foto
Médicos alertam para necessidade de reforçar meios de controlo e resposta ao previsível aumento dos contágios Tiago Lopes (arquivo)

A fechar aquela que foi a pior semana da pandemia em termos de novos casos de contágio – com uma média diária de 1073 novas infecções a cada 24 horas , o presidente da Associação de Médicos de Saúde Pública, Ricardo Mexia, deixa um aviso claro: ou a capacidade de resposta do SNS é reforçada, em termos de recursos humanos e do sistema de informação, ou o confinamento será inevitável.

Sugerir correcção