Covid-19: dez mortes e 1278 novos casos, o segundo valor mais alto de sempre. Número de internados continua a subir

Pela terceira vez desde Março, Portugal ultrapassou a fasquia dos mil casos em 24 horas, ao registar 1278 infecções. Nas últimas 24 horas, 37 pessoas foram internadas, o que fez com que o número total de internamentos voltasse a subir para um valor que já não era registado desde Maio. Mais de 50% das infecções foram registadas a Norte.

Foto
Rafael Marchante/Reuters

Portugal registou, pela terceira vez desde o início da pandemia, mais de mil casos diários de infecção pelo novo coronavírus. Além desta quinta-feira ter sido um dos pouco dias em que isso aconteceu, foi também o segundo pior dia em termos de novos casos. De acordo com o boletim diário da Direcção-Geral da Saúde (DGS), há 1278 casos desde quarta-feira, num total de 82.534 desde o início da pandemia​. Precisamos recuar até 10 de Abril, quando o nosso país estava ainda no pico da pandemia, para contabilizar um valor tão elevado: nesse dia, foram registados 1516 novos casos de infecção. Esta quinta-feira foram também registadas mais dez mortes, o que perfaz um total de 2050 vítimas mortais relacionadas com a covid-19.

Nos últimos sete dias, Portugal registou dois dos valores mais altos de sempre em termos de novas infecções e esteve perto de ter mil casos diários (no sábado, com 963 novos casos, e esta quarta-feira, com 944). Antes disso, Portugal só tinha ultrapassado por duas vezes a fasquia dos mil casos, com 1035 novas infecções a 31 de Março e 1516 a 10 de Abril. Horas antes de o boletim ser divulgado, e durante uma visita ao Hospital de Braga, o secretário de Estado Adjunto e da Saúde, António Lacerda Sales, avançou que Portugal iria ultrapassar os mil casos nesta quinta-feira. “Temos de nos preparar para o que aí vem”, afirmou.

Nas últimas 24 horas, 37 pessoas foram internadas por causa da covid-19, o que fez com que o número total de internamentos voltasse a subir (como já tinha acontecido nesta quarta-feira) para um valor que já não era registado desde Maio. No total, há 801 pessoas internadas, 115 destas em unidades de cuidados intensivos (UCI) e 11 deram entrada no último dia — há quase cinco meses, a 11 de Maio, eram 805 (e 112 em UCI). Apesar de ter tido algumas variações, o número total de cidadãos internados está numa tendência crescente desde o início de Setembro.

Há 46.182​ pessoas a serem acompanhadas pelas autoridades de saúde, mais 159 do que no dia anterior. Além disso, há agora 28.967 casos activos de infecção, mais 788 do que nesta quarta-feira — valor obtido depois de subtraído o número de recuperados e de óbitos ao total de infecções. Portugal nunca teve tantos casos activos como tem esta quinta-feira. O boletim da DGS revela também que foram registados 480 casos recuperados nas últimas 24 horas — no total, existem agora 51.517 pessoas consideradas recuperadas.

Grande parte das novas infecções desta quinta-feira dizem respeito a três zonas do país: 50,2% (ou 642 novos casos) foram registadas na região Norte, onde também ocorreram cinco das dez mortes, e 37,2% (482 novos casos) na região de Lisboa e Vale do Tejo, que também contabiliza três das dez vítimas mortais das últimas 24 horas. Na região Centro foram registados 7% dos novos casos (101 novos) e duas mortes.

Olhando para a distribuição dos casos por região, Lisboa e Vale do Tejo continua a ser a que tem o maior número acumulado de casos no país – ao todo, são 41.707 os registos de infecção e 814 mortes por covid-19. O Norte tem 30.111 casos e 905 mortes — é a região com o maior número de vítimas mortais. Já no Centro foram registados 6662 infecções e 271 mortes. O Alentejo totaliza 1604 casos (nove novos) e 25 mortes. No Algarve há 1892 casos de infecção (30 nas últimas 24 horas) e 20 óbitos. A Madeira totaliza 267 casos de infecção (seis novos) e zero mortes. Já os Açores registam 291 casos (mais quatro) e 15 mortes desde o início da pandemia.

Depois da actualização das infecções por concelho, que é feita à segunda-feira, ficou a saber-se que, à semelhança do que se verificou na semana passada, Lisboa foi o concelho que registou o maior número de novos casos, com 448 na última semana para um total de 6965. Na lista dos concelhos com maior número de novas infecções seguem-se Sintra com mais 363 casos (total de 5804), Loures (mais 265, total de 3357), Odivelas (mais 157, 2366 acumulados), Porto (115 novos, 1957 no total) e Vila Nova de Gaia (146, 2421 no total). Almada (143, total de 1393), Cascais (141, 2177 no total), Guimarães (115 para um total de 1417), Seixal (112 novos, 1316 no total), Amadora (111 novos casos, total de 3149) e Oeiras (103, total de 1828) fecham a lista dos concelhos com registo de mais novos casos na última semana.

Os dados do relatório da DGS indicam que, do total de mortes registadas, 1020 são mulheres e 1030 homens. As dez mortes registadas nas últimas 24 horas são referentes nove pessoas acima dos 80 anos (seis homens e três mulheres) e a um homem entre os 70 e os 79 anos. A doença causada pelo novo coronavírus é mais mortal na faixa etária acima dos 70 anos: a covid-9 matou 1778 pessoas com estas idades, o que representa 86,7% de todas as mortes registadas em todas as faixas etárias.