Saborear, sentir e saber a futura candidata a Capital Europeia da Cultura 2027

A candidatura ainda se prepara, mas o território já está mobilizado. E, no dia 24 de Outubro, a Rede Cultura 2027 oferece “Roteiros Imersivos” para que habitantes e visitantes conheçam melhor os 26 municípios que querem tornar realidade Leiria - Capital Europeia da Cultura em 2027.

leiria,vinhos,gastronomia,vinho,fugas,patrimonio,
Fotogaleria
Porto de Mós
leiria,vinhos,gastronomia,vinho,fugas,patrimonio,
Fotogaleria
Cadaval
leiria,vinhos,gastronomia,vinho,fugas,patrimonio,
Fotogaleria
Ourém

Leiria é a cabeça, mas não é nada sem os outros 25 concelhos — juntos, formaram a Rede Cultura 2027, juntos preparam a candidatura a Capital Europeia da Cultura 2027. E, juntos, oferecem um conjunto de experiências ao estilo best of de cada um deles a que chamam “Roteiros Imersivos”: visitas ao património histórico e natural, degustação das especialidades gastronómicas e performances especiais. O problema será escolher, já que todas acontecem no dia 24 de Outubro e cada pessoa só se pode inscrever para um destes mini-roteiros, que incluem almoço, são gratuitos e têm lotação máxima de dez pessoas.

Não é à toa a data escolhida: é o último dia do programa de encerramento do congresso “O Futuro da nossa Cidade”, em Leiria, que decorre desde Maio. Meio ano de trabalho e reflexão sobre um território que se uniu para promover “a partilha de criações e recursos artísticos e culturais”, como se lê no manifesto Rede Cultura 2027, assinado em Fevereiro de 2019 por 26 municípios, e que neste dia se dá a conhecer em percursos que, de alguma forma, reflectem “as ideias, acções e vivências” que o congresso trouxe às populações.

Foto
Arruda dos Vinhos

É dia, então, de “saborear, sentir e saber”. Tanto se poderá mergulhar nos “Néctares do Oeste” (Lourinhã) - que inclui desde uma mostra de arte pública em contexto rural a uma visita guiada à adega cooperativa da Lourinhã para perceber os segredos por detrás da aguardente DOC Lourinhã, passando por uma experiência de live cooking com o chef Chakall; como descobrir “O Forte depois do bife Wellington” (Torres Vedras) — o almoço, claro, inclui o mencionado bife, e é seguido por uma visita ao Centro de Interpretação das Linhas de Torres Vedras e antecipado por uma passagem pelo Castro do Zambujal e por uma prova de vinhos.

Foto
Óbidos

Em Castanheira de Pera, há “Poços da Neve e o que deles se descobre” — que é como quem diz, entre outros, visita aos referidos poços, mais os passadiços da Ribeira das Quelhas, o Poço Carga e passagem pela Praia das Rocas —, e em Alenquer abre-se uma “Terra da Vinha e do Vinho” — que inclui a recriação de uma adiafa, com pisa e animação, uma visita ao Museu Damião Góis e das Vítimas da Inquisição e um almoço com torricado com bacalhau na brasa (entre outros).

Na Marinha Grande, a “Modernidade e tradição: um farol de oportunidades” tem a passagem obrigatória pelo Museu do Vidro e passeio pelo Pinhal do Rei, por exemplo. Em Porto de Mós (“Histórias que as pedras guardam”) aprende-se, entre outras coisas, “a insustentável beleza da agrura”, com o Maciço Calcário Estremenho a impor-se, moldando a paisagem e o homem, e em Peniche (“Uma caldeirada com vista para a fortaleza”) vai-se “ao” peixe (à lota e no prato) e relembra-se o que custou a liberdade no Museu Nacional Resistência e Liberdade.

Foto
Castanheira de Pera

Sobram ainda experiências — Alcanena (“Ciências e sabores vivos do Alviela”), Alcobaça (“Ora et Labora: cornucópias e tabernas dos monges”), Alvaiázere (“Rota de sensações”), Ansião (“Moinhos do Outeiro, enfiadas de pinhões e outras iguarias”), Arruda dos Vinhos (“Circuito da Vila: Do Chafariz à Mercearia do Prato”), Batalha (“Perfeição nas imperfeitas”), Bombarral (“Néctares da Quinta das Cerejeiras”), Cadaval (“Moinho das castanholas e o pão nosso”), Leiria (“Roteiro sentimental”), Nazaré (“A onda do Santuário”), Pedrógão Grande (“Confraria do Bucho e outras iguarias”), Pombal (“Às cegas nos sentidos”), Óbidos (“Josefas, livros, ginjas e bordados”), Ourém (“De Fátima ao Agroal”), Sobral de Monte Abraço (“Mude o seu destino onde mudámos o de Napoleão”), Tomar (“Uma janela para o mundo”), Torres Novas (“Roteiro imersivo”).

Foto
Marinha Grande

Todos os programas podem ser consultados aqui. As inscrições, online (na página de cada experiência), devem devem ser feitas até ao dia 15 de Outubro, para os residentes dos 26 municípios da rede (que não podem escolher o seu concelho), e durante os dias 16 e 17 para o público em geral — deve indicar a sua preferência e duas opções secundárias. Como estes roteiros são parte integrante do congresso, dar-se-á preferência a quem se inscreva também para acompanhar as comunicações dos oradores em, pelo menos, um dos dias. Em caso de problema na inscrição online, esta pode ser feita através do email ou do telefone (244 839 646).