martin-scorsese,quentin-tarantino,steven-spielberg,rolling-stones,cinema,culturaipsilon,

Foi há 30 anos: Goodfellas de Martin Scorsese

Made Men: The Story of Goodfellas é um livro do crítico Glenn Kenny sobre Tudo Bons Rapazes, o clássico da máfia de Martin Scorsese que mudaria a carreira do realizador e deixaria marca indelével no cinema e na televisão das décadas seguintes.

Um carro na auto-estrada à noite. “Nova Iorque, 1970”. Lá dentro, três homens em vários graus de sono, um deles a dormir. Ouve-se um barulho vindo da bagageira. Param o carro. Banhados a luz vermelha, os três abrem a porta de trás, que esconde um homem ensanguentado, moribundo, que pede clemência. É esfaqueado e alvejado por dois passageiros do carro que assim garantem que ele morre. Fica tudo mais vermelho. Em contraste com o que estamos a ver, começa a narração sobre as virtudes de ser gangster, um sonho de infância. O condutor da viatura fecha a porta e Tony Bennett começa a cantar Rags to Riches. Aparecem os créditos de Saul e Elaine Bass, as letras brancas em fundo preto passam a ser vermelhas. Durante as próximas duas horas e 25 minutos, não pára enquanto mostra o mundo do crime nova-iorquino pela perspectiva de alguém que não é um poderoso padrinho, é alguém um pouco mais modesto no seu poder dentro da máfia.