Nobel para Louise Glück: uma poesia da desolação e do milagre

“Uma inconfundível voz poética”, considerou o júri da Academia Sueca. Desde Maio que tinham sido escolhidos, de uma lista de 200 autores, os cinco candidatos finais. Por causa da pandemia não haverá este ano o habitual banquete de entrega dos prémios em Estocolmo.

nobel-literatura,bob-dylan,literatura,culturaipsilon,livros,nobel,
Foto

O nome da norte-americana Louise Glück foi anunciado pela Academia Sueca esta quinta-feira ao meio-dia como Nobel da Literatura 2020, numa cerimónia transmitida online a partir de Estocolmo.  O júri escolheu-a pela “sua inconfundível voz poética, que com austera beleza torna universal a existência individual”. Actualmente a viver em Cambridge, Massachussetts, nos EUA, Louise Glück, de 77 anos, é professora de Língua Inglesa na Universidade de Yale.